Gustavo Tsuboi esteve na equipe do Brasil. (Rémy Gros/ITTF)
A histórica campanha do Brasil no Mundial por Equipes de Tênis de Mesa chegou ao fim, em Halmstad, na Suécia. Em sua primeira quartas de final na competição em todos os tempos, o País não resistiu ao favoritismo da Alemanha e acabou derrotado na série melhor de cinco partidas por 3 a 1.

Apesar da queda e da impossibilidade de disputar medalha, o desempenho brasileiro em Halmstad ficará marcado. Esta foi a primeira vez que a equipe do País chegou às quartas de final da competição, que até 1985 era disputada em outro formato, com classificação direta da fase de grupos às semifinais.

Nas quartas deste ano, o favoritismo era mesmo todo da Alemanha, afinal, o país é uma potência da modalidade e chegou a três decisões nas últimas quatro edições do Mundial. E com a classificação, terá pela frente nas semifinais a Coreia do Sul, que eliminou o Japão. O outro finalista do torneio será definido no duelo entre Suécia e China.

Mas a vida da Alemanha não começou nada fácil nesta sexta. Número 1 do Brasil e principal esperança do País na modalidade, Hugo Calderano colocou a equipe na frente ao derrotar Bastian Steger por 3 sets a 1, com parciais de 11/4, 6/11, 11/8 e 11/6. A resposta, porém, foi imediata. Ruwen Filus não deu chances para Eric Jouti e fechou em sets diretos: 11/6, 11/8 e 11/8.

A Alemanha virou na sequência, com Dimitrij Ovtcharov batendo Gustavo Tsuboi por 3 a 1, com parciais de 11/9, 9/11, 11/7 e 11/3. A esperança brasileira, então, voltou a ser Calderano, mas ele perdeu de virada para Filus em cinco sets: 7/11, 11/5, 8/11, 11/9 e 11/9.