Por Pedro Melo 

Neymar e Weverton comemoram a medalha de ouro inédita. (Leonardo Benassatto/Estadão Conteúdo)

Neymar e Weverton comemoram a medalha de ouro inédita. (Leonardo Benassatto/Estadão Conteúdo)

Acabou a angústia e o Brasil pode comemorar a medalha de ouro inédita no futebol masculino. A seleção brasileira empatou com a Alemanha em 1 a 1 no tempo normal e nas penalidades, venceu por 5 a 4 graças a defesa do goleiro Weverton na defesa do atacante Petersen.

O futebol masculino entrou nos Jogos Olímpicos em 1908 e o Brasil disputou pela primeira vez há 64 anos, porém, nunca conseguiu ganhar a medalha de ouro e o jejum foi encerramento justamente quando a Olimpíada foi disputada no Rio de Janeiro.

A campanha brasileira começou com dois empates em 0 a 0 com África do Sul e Iraque e o time foi bastante criticado. A partir do terceiro jogo, o técnico Rogério Micale colocou Walace e Luan como titulares e o desempenho da seleção melhorou.

Na última rodada da primeria fase, o Brasil goleou a Dinamarca por 4 a 0 e terminou na liderança do seu grupo. Nas quartas de final, uma vitória convincente por 2 a 0 sobre a Colômbia e a vaga para a disputa do ouro veio com goleada por 6 a 0 sobre Honduras.

O JOGO 

Pela quarta partida consecutiva, Rogério Micale repetiu a escalação ofensiva com quatro atacantes. Porém, a primeira chance foi da seleção alemã em chute forte de Brandt da entrada da área que parou no travessão para alívio da torcida brasileira.

Depois da pressão inicial dos alemães, o Brasil conseguiu equilibrar a partida e abriu o placar aos 27 minutos. Neymar cobrou a falta com muita categoria, a bola bateu no travessão e entrou no ângulo esquerdo do gol defendido por Horm. A Alemanha não se abalou com o gol e teve três chances para empatar, mas o goleiro Weverton e a trave, em mais duas oportunidades, evitaram.

Já na segunda etapa, a equipe alemã voltou com uma postura mais ofensiva, voltou a tomar as ações do jogo e conseguiu o gol de empate. A defesa brasileira errou ainda na saída de bola, Meyer recebeu o passe na entrada da área e chutou rasteiro, sem chance para o goleiro Weverton. Para melhorar o rendimento ofensivo, Felipe Anderson entrou no lugar de Gabriel, mas o empate permaneceu.

Na prorrogação, o jogo ficou bastante nervoso no meio-campo e as duas seleções estavam mais preocupadas em não sofrer o gol. Com isso, a decisão do ouro foi para as penalidades máximas e o Brasil garantiu a medalha de ouro histórica. As duas equipes acertaram as quatro primeiras cobranças e Weverton defendeu o quinto chute alemão. Ficou nos pés de Neymar a responsabilidade de garantir o ouro e teve muita calma para marcar o gol.

FICHA TÉCNICA
BRASIL (5)1X1(4) ALEMANHA

Local: Maracanã, Rio de Janeiro (RJ).
Data: 20 de agosto de 2016.
Horário: 17h30.
Árbitro: Alireza Faghani (Irã).
Assistentes: Reza Sokhandan (Irã) e Mohhamadreza Mansouri (Irã).

Brasil: Weverton; Zeca, Rodrigo Caio, Marquinhos e Douglas Santos, Walace e Luan; Gabriel Jesus (Rafinha), Neymar e Gabriel (Felipe Anderson).
Técnico: Rogério Micale.

Alemanha: Horn; Toljan, Ginter, Süle e Klostermann; Sven Bender, Lars Bender (Promel), Brandt, Meyer e Gnabry; Selke (Petersen).
Técnico: Horst Hrubesch.

Cartões amarelos: Zeca e Gabriel (BRA); Selke, Proemel, Sven Bender e Süle (ALE).
Gols: Neymar (BRA), aos 27′ do primeiro tempo, e Meyer (ALE), aos 14′ do segundo tempo.