Por Pedro Melo 

Rafaela Silva ganha a primeira medalha de ouro do Brasil. (William Volcov/Estadão Conteúdo)

Rafaela Silva ganha a primeira medalha de ouro do Brasil. (William Volcov/Estadão Conteúdo)

O dia da eliminação nos Jogos Olímpicos de Londres ficou para trás e agora é só alegria para a judoca Rafaela Silva que ganhou a primeira medalha de ouro do Brasil no Rio 2016. Rafaela derrotou na grande final da categoria até 57 kg a mongólica Sumiya Dorjsuren com um wazari.

Quando foi eliminada em Londres, a judoca carioca leu todas as mensagens a seu respeito, entre elas de racismo, e avisou seu técnico Geraldo Bernardes que não queria mais lutar. Porém, com o apoio de Bernardes, de Flávio Canto, seu mentor, e de sua família, deu a volta por cima, ganhou o título mundial em 2013 e agora ganha uma medalha de ouro olímpica.

Nascida na favela da Cidade de Deus, no Rio de Janeiros, a judoca carioca competiu a poucos metros e agradeceu ao esporte por estar vivendo o momento histórico. “Minha vida é o judô. Não sei onde eu estaria agora, mas conheci o esporte e sou campeã olímpica”, comentou, em entrevista ao Sportv.

Durante a campanha histórica, Rafaela Silva estreou com vitória sobre a alemã Miryan Roper na primeira luta e a coreana Jandi Kim nas quartas de final. Já nas quartas de final, ganhou da hungara Hedvig Karakas e o combate mais complicado foi na semifinal, quando eliminou a romena Corina Caprioriu somente no golden score.

Esse é o primeiro pódio brasileiro na Olimpíada de 2016. No dia inicial de competições, Sarah Menezes e Felipe Kitadai pararam na repescagem, enquanto, no último domingo (08), Charles Chibana perdeu ainda na primeira luta e Érika Miranda ficou em quarto lugar.

A meta da Confederação Brasileira de Judô (CBJ) é terminar os Jogos Olímpicos com, no mínimo, quatro medalhas e repetir o feito de Londres.