Por Pedro Melo 

Paranaenses Lipe e Serginho estiveram no grupo que ganhou o ouro. (Divulgação/CBV)

Paranaenses Lipe e Serginho estiveram no grupo que ganhou o ouro. (Divulgação/CBV)

A seleção masculina de vôlei conquistou a última medalha do Brasil nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro com uma vitória contundente por 3 a 0 sobre a Itália e um dos nomes da equipe brasileira entrou para a história com a conquista. O líbero Serginho, nascido na pequena cidade de Diamante do Norte, microrregião de Paranavaí, conquistou sua quarta medalha olímpica e ainda em edições consecutivas.

Serginho encerra sua história na Olimpíada com quatro medalhas. (Divulgação/CBV)

Serginho encerra sua história na Olimpíada com quatro medalhas. (Divulgação/CBV)

Serginho já estava na primeira campanha de ouro ainda em Atenas 2004, quando o Brasil derrotou na final a seleção italiana e ainda viveu a situação de perder o jogo decisivo em Pequim 2008 e Londres 2012, mas levou para casa a medalha de prata.

Nos esportes individuais, Dante, Rodrigão e Giba, no vôlei masculino, Fofão, no vôlei feminino, e a dupla Ricardo e Emanuel, no vôlei conquistaram três medalhas cada um. Com a quarta medalha no Rio, Serginho igualou ao nadador Gustavo Borges. Já os maiores medalhistas brasileiros são os velejadores Robert Scheidt e Torben Grael, cada um com cinco medalhas.

Logo após a delegação brasileira receber a medalha, Serginho foi muito homenageado por todos presentes no ginásio do Maracanãzinho. O líbero, que se aposenta da seleção, teve o nome gritado pela torcida e seus companheiros beijaram a camisa 10 do líbero.

Curitibano Lipe entra para lista de medalhistas

O grupo de 12 jogadores da seleção masculina de vôlei conta com o ponteiro Lipe, que nasceu em Curitiba e foi responsável pelo último ponto da partida no bloqueio. Durante a campanha do ouro, o curitibano chegou a deixar a partida contra a Argentina, nas quartas de final, com contratura na região lombar,

Lipe conquista sua segunda medalha de ouro em competições com a seleção brasileira. O ponteiro subiu ao lugar mais alto do pódio nos Jogos Pan-Americanos de Guadalajara, em 2011, mas na ocasião, o Brasil jogou com uma equipe B.