Por Pedro Melo 

Arthur Zanetti conquistou a segunda medalha olímpica na carreira. (Getty Images/Rio 2016/Divulgação)

Arthur Zanetti conquistou a segunda medalha olímpica na carreira. (Getty Images/Rio 2016/Divulgação)

Uma apresentação perfeita do grego Eleftherios Petrounis deixou o brasileiro Arthur Zanetti com a medalha de prata nas argolas. Zanetti recebeu 15.766, enquanto, o grego ficou com 16.000 e o russo  Denis Abliazin, que completou o pódio, tirou 15.700.

Petrounias foi o terceiro atleta a se apresentar e não cometeu nenhum erro. Com a nota tirada, o grego obrigava Zanetti a, no mínimo, repetir a melhor nota de sua carreira – 16.050 – que aconteceu durante a etapa de São Paulo na Copa do Mundo, realizada em maio do ano passado.

Já Zanetti foi o último a se apresentar e sabia que precisava de uma apresentação impecável. Apesar de realizar uma boa prova, os juízes deram uma nota abaixo do grego, mas nada que tirasse a alegria do paulista, que ganhou subiu o pódio pela segunda Olimpíada consecutiva.

O ginasta paulista apareceu no cenário mundial no ano de 2011 com a medalha de prata no Mundial de Tóquio e foi campeão olímpico no ano seguinte. No Mundial de Nanning, em 2014, ele ficou em segundo lugar novamente e no ano seguinte, ganhou o ouro no Pan-Americano de Toronto.

Zanetti conquistou sua segunda medalha olímpica e o Brasil soma agora três pódios na ginástica artística – Diego Hypólito e Arthur Nory ganharam prata e bronze, respectivamente, na prova de solo.