Brasil venceu a Venezuela e foi aos quatro pontos no hexagonal final (Lucas Figueiredo/CBF/Divulgação)

Um gol aos 43 minutos do segundo tempo, neste domingo (5), salvou o Brasil de mais um tropeço no hexagonal final do Sul-Americano Sub-20. Felipe Vizeu fez um golaço, garantiu o 1 a 0 sobre a Venezuela, no Estádio Olímpico Atahualpa, em Quito, no Equador, e assegurou a primeira vitória do Brasil nesta fase da competição.

Com o resultado, o Brasil foi a quatro pontos na tabela e assumiu temporariamente a terceira posição. No entanto, a situação ainda é delicada. Mais tarde neste domingo, o Uruguai (seis pontos) encara a Colômbia (um) e o Equador (um) enfrenta a Argentina (três).

Suspenso por ter entrado em campo na partida contra o Uruguai, o técnico Rogério Micale acompanhou a partida das arquibancadas, enquanto Eduardo Barroca comandou o time do banco de reservas.

Em campo, a Venezuela começou bem a partida e criou as primeiras chances de abrir o placar. Aos quatro minutos do primeiro tempo, Soltedo cruzou para Herrera cabecear, e Lucas Perri fez a defesa Dois minutos depois, Chacón bateu e o goleiro brasileiro caiu novamente para impedir o gol. Aos 13, Perri fez a defesa mais difícil, em nova finalização de Chacón, livre na marca do pênalti.

Após sofrer com a pressão venezuelana, a primeira oportunidade do Brasil aconteceu somente aos 19 minutos. Matheus Sávio cobrou escanteio pela direita e Richarlison cabeceou no travessão. A próxima chance de gol só surgiu aos 36, quando David Neres cruzou para Richarlison, que se chocou com o goleiro Fariñez. Na sobra, Vizeu mandou para as redes, mas o árbitro marcou falta no lance.

Depois de um primeiro tempo sem grandes emoções, a Venezuela voltou a campo novamente em um ritmo forte no início da segunda etapa. Com 12 segundos, Rogério cometeu falta na intermediária. Na cobrança, Soltedo cruzou com perigo, mas a bola passou por toda a área. Aos três, Soltedo tabelou com Peña e bateu cruzado para fora. A reação do Brasil aconteceu mais cedo, aos cinco minutos, quando Vizeu foi lançado cara a cara, mas o goleiro da Venezuela chegou primeiro à bola.

No entanto, o início eletrizante novamente deu lugar a um jogo mais burocrático. Aos 22, a Venezuela quase fez o primeiro quando Herrera avançou pelo meio e chutou no cantinho, mas acertou a trave direita de Lucas Perri. Sete minutos depois, Chacón foi tocado por Gabriel na área e pediu pênalti, mas a arbitragem mandou o jogo seguir.

Até o apito final, o Brasil errou muitos passes no meio de campo e apostou nos chutões para a frente, jogadas que a zaga da Venezuela soube neutralizar facilmente. No entanto, aos 43 minutos do segundo tempo, Vizeu marcou um golaço para apagar a péssima atuação da seleção de Micale. O centroavante roubou a bola na intermediária e bateu no ângulo para fazer 1 a 0.

Nos minutos finais, o atacante David Neres acertou um tapa no nariz do venezuelano Mejías, que saiu sangrando, mas o árbitro não viu. García deu o troco e agrediu o brasileiro e acabou expulso um minuto antes do apito final. Após o término da partida, os atletas da Venezuela foram cobrar o juiz por não ter excluído Neres e Quero também levou o cartão vermelho.

Na sequência da competição, as equipes voltam a campo na próxima quarta-feira. Enquanto a Venezuela encara o Uruguai, o Brasil enfrenta a Argentina, às 23h30 (horário de Brasília).