Seleção brasileira perdeu oportunidade de estrear com vitória no hexagonal final do Sul-Americano Sub-20 (Lucas Figueiredo/CBF)

A seleção brasileira sub-20 desperdiçou grande chance de estrear com vitória no hexagonal final do Campeonato Sul-Americano da categoria, em jogo encerrado na madrugada desta terça-feira (no horário de Brasília), ao empatar por 2 a 2 com o Equador, no Estádio Olímpico Atahualpa, em Quito (EQU).

O time nacional comandado por Rogério Micale chegou a abrir 2 a 0 com gols de Guilherme Arana e Maycon, mas acabou cometendo dois pênaltis na etapa final, convertidos por Jaramillo e Estupiñan, e assim somou apenas um ponto nesta primeira rodada do hexagonal final.

Por ter marcado dois gols, o Brasil divide a vice-liderança desta fase derradeira da competição com os próprios equatorianos O Uruguai, que venceu a Argentina por 3 a 0 em outro jogo desta segunda-feira, é o líder isolado, com três pontos. Colômbia e Venezuela, que empataram por 1 a 1 em outro duelo do dia, dividem a quarta posição, também com um ponto, enquanto os argentinos seguram a lanterna, sem pontuação.

O Brasil voltará a campo pelo Sul-Americano Sub-20 na quinta-feira, quando enfrenta os uruguaios, às 21h15 (de Brasília), com chance de assumir a ponta do hexagonal, que classificará os seus quatro primeiros colocados ao próximo Mundial da categoria.

O duelo entre brasileiros e equatorianos começou a ser disputado sob forte chuva em Quito, onde a seleção da casa tratou de ir ao ataque e com cinco minutos já havia acertado uma bola na trave e depois parado em defesa com os pés do goleiro Caíque.

Após suportar a pressão inicial, o Brasil abriu o placar aos 15 minutos do primeiro tempo. O atacante David Neres, poucas horas após acertar a sua transferência do São Paulo ao Ajax, da Holanda, em um negócio de cerca de R$ 50 milhões, arriscou o chute de fora da área e viu o goleiro equatoriano dar rebote para o lateral corintiano Guilherme Arana, que finalizou com força para marcar.

Empolgada com o gol, a seleção brasileira seguiu buscando o ataque e marcou o segundo já aos 24 minutos, quando Matheus Sávio cruzou da direita e Maycon completou para as redes.

Depois disso, o Brasil sustentou a vantagem até o final do primeiro tempo e vencia por 2 a 0 até os 24 minutos da etapa final, quando começou a reação da seleção da casa. Em investida do ataque equatoriano, Caíque sai muito mal de sua meta e deu carrinho em Lino, que acabou sendo derrubado pelo goleiro. Pênalti, que o juiz marcou e Jaramillo cobrou para marcar, aos 25 minutos.

E o Brasil voltou a cometer o mesmo erro, este fatal para o resultado final, ao cometer novo pênalti em Lino. O jogador voltou a ser derrubado, desta vez pelo zagueiro Gabriel, que chegou atrasado no lance para fazer o desarme. Desta vez Estupiñan é quem foi para a bola e acertou o canto direito de Caíque, que caiu para o outro lado.

No duelo encerrado na madrugada desta terça, o Brasil entrou em campo com Caíque; Dodô, Lyanco, Gabriel e Guilherme Arana; Maycon, Caio Herique e Matheus Sávio; David Neres; Felipe Vizeu e Richarlison. No decorrer do confronto, Micale sacou Matheus Sávio e David Neres para as respectivas entradas de Giovanny e Douglas.