A juíza Maria Fernanda Zipinotti Duarte, da 30ª Vara do Trabalho de São Paulo (SP), determinou que o “bicho”, valor pago para os jogadores, comissão técnica e demais integrantes dos clubes nas metas atingidas, deve ser considerada como parte dos salários.

De acordo com a sentença, divulgada pelo jornalista Marco Birnfeld, do Jornal do Commercio, o “bicho” deve fazer parte do salário, mesmo que seja um valor variável. Os clubes terão que considerar a quantia dada para cada componente para somar os valores de 13º salário, férias e FGTS.

A decisão da juíza foi dada no julgamento da ação trabalhista do técnico Milton Cruz, atualmente no Figueirense, contra o São Paulo. Ele trabalhou por mais de duas décadas no clube paulista, em duas passagens.