Manchester City conquistou primeiro título na era Guardiola. (Divulgação/Manchester City)
O Manchester City mostrou mais uma vez neste domingo por que é uma das maiores potências do futebol europeu, ao conquistar a Copa da Liga Inglesa. No Estádio Wembley, o time de Pep Guardiola não tomou conhecimento do Arsenal, venceu por 3 a 0 e levantou o troféu da tradicional competição pela quinta vez

A conquista não só coroa o ótimo trabalho de Guardiola nesta temporada, como também embala o City na disputa dos outros dois títulos que disputa. Líder disparado do Campeonato Inglês, o clube deve faturar a competição, e ainda está praticamente garantido nas quartas de final da Liga dos Campeões, após bater o Basel por 4 a 0 na ida das oitavas, fora de casa.

Esta foi a quinta vez que o City levantou o troféu da Copa da Liga Inglesa, sendo a terceira nesta “era rica” do clube, igualando os feitos de 1969/70, 1975/76, 2013/14 e 2015/16. O time é o segundo maior vencedor do torneio, ao lado de Manchester United, Aston Villa e Chelsea e atrás apenas do Liverpool, que tem oito taças.

Por outro lado, a derrota foi uma decepção para o Arsenal, que apostava neste torneio para salvar a temporada. Afinal, o time já caiu na Copa da Inglaterra e está longe da briga pelo título inglês. Resta, então, sonhar com a Liga Europa, na qual vai encarar o Milan nas oitavas de final.

Apesar do resultado negativo, o Arsenal até começou bem neste domingo e foi quem criou a primeira oportunidade. Logo aos sete minutos, Özil recebeu pela direita com muita liberdade e tocou no meio para Aubameyang, que chegou dividindo com Walker. Bravo, com as pernas, fez grande defesa.

Só que parou por aí. O Arsenal errava demais na marcação, e uma destas falhas faria diferença aos 18 minutos. Bravo cobrou tiro de meta, Agüero ganhou no corpo de Mustafi e arrancou sozinho. De frente para Ospina, tocou por cobertura para marcar um golaço

O gol diminuiu o ritmo da partida. De Bruyne e Kompany perderam boas oportunidades, mas o zagueiro belga deixaria sua marca no início do segundo tempo. Aos 12 minutos, De Bruyne cobrou escanteio para a entrada da área, onde Gündogan chegou finalizando cruzado. No meio do caminho, a bola encontrou o pé de Kompany, que desviou para a rede.

O segundo gol abalou o Arsenal, que se perdeu em campo e levou o terceiro logo na sequência. Aos 19, Danilo escapou da marcação e tocou para David Silva, que girou sobre o zagueiro e bateu cruzado, sem chances para Ospina.

Com a vitória construída, o City voltou a tirar o pé do acelerador e administrou o resultado. Guardiola pôde até promover o retorno de Gabriel Jesus, que entrou aos 31 minutos na vaga de Sané e voltou a jogar após dois meses afastado por uma lesão no joelho.