Capitão da equipe italiana morreu no último domingo (Reprodução/Twitter/Fiorentina)

Uma autópsia realizada nesta terça-feira confirmou que o capitão da Fiorentina, Davide Astori, morreu após sofrer uma parada cardíaca no último domingo. Ele foi vítima deste problema súbito dentro de um hotel de Údine, onde o time estava concentrado para enfrentar a Udinese naquele mesmo dia pelo Campeonato Italiano. O morte trágica provocou o adiamento de toda a rodada de domingo da competição nacional.

Os legistas que realizaram a autópsia no atleta, que tinha apenas 31 anos de idade, descobriram que a morte foi causada por “uma parada cardíaca sem explicação macroscópica, seguramente como consequência de uma bradiarritmia”, informou a Fiorentina, por meio de nota publicada em seu site oficial.

“O exame confirmou que foi uma morte súbita e inesperada sem nenhuma motivação particular. Os batimentos cardíacos diminuíram lentamente até pararem. Um exame histológico adicional será realizado dentro dos próximos 60 dias. Mas agora o corpo pode ser devolvido à família”, completou o comunicado do clube de Florença, onde o defensor se tornou um ídolo depois de ter sido revelado pelo Milan, traçado passagem marcante com a camisa do Cagliari e ainda atuado pela Roma em uma temporada.

Após confirmar anteriormente que uma investigação criminal foi aberta por causa do ocorrido com o jogador, Antonio De Nicolo, promotor da cidade de Údine, também informou nesta terça-feira que o diagnóstico definitivo do quadro que provocou a morte de Astori só será conhecido dentro de dois meses.

Até este prazo, Nicolo frisou que não será possível “dizer com exatidão que não existia nenhuma outra causa detectável ou outro elemento de qualquer tipo” que possa ter causado o falecimento do atleta. No último domingo, o promotor já havia dito que a suspeita era de que o atleta morreu possivelmente “por parada cardiocirculatória por causas naturais”, o que a autópsia deu indícios de que realmente ocorreu.

O atleta, que defendeu também a seleção italiana em 14 partidas, entre 2011 e 2017, esteve presente na Copa das Confederações realizada no Brasil em 2013. Após a autópsia, o corpo de Astori será levado nesta quarta-feira para Florença, onde ele morava, e haverá velório no centro de treinamento nacional da seleção italiana, nos arredores da cidade, onde amigos e fãs poderão comparecer. O funeral está marcado para a quinta-feira na Basílica di Santa Croce, também em Florença.

Após lamentar a morte do zagueiro no domingo, a Uefa anunciou na última segunda-feira que todas as partidas desta semana da Liga dos Campeões e da Liga Europa serão realizadas após um minuto de silêncio em homenagem ao jogador.