Da Redação

O time da Banda B recebeu um reforço de peso neste sábado (22) durante a jornada em que o Coritiba venceu o Rio Branco por 2 a 1 no Couto Pereira e chegou às semifinais do Campeonato Paranaense. O craque em questão é o ex-atacante Zé Roberto, ídolo do Coritiba e que também passou pelo Atlético, que esteve na cabine ao lado do narrador Caio Junior e do comentarista Dionísio Filho para participar da transmissão da partida no AM 550.

Aos 68 anos, Zé Roberto reside atualmente na cidade de Serra Negra-SP desde o ano passado devido a um AVC (acidente vascular cerebral) que sofreu e o deixou com a saúde debilitada. Mesmo assim, os problemas não são suficientes para afastá-lo desta grande paixão que é o futebol.

O ex-alviverde revelou que sempre que pode retorna a Curitiba e aproveita para ir ao estádio assistir alguma partida. É algo que ele pretende continuar a fazer por um longo período. “Ainda vou demorar muito para ir para o andar de cima”, disse Zé Roberto em tom descontraído.

(Foto: Banda B)

Dionísio Filho e Caio Júnior receberam o craque Zé Roberto na cabine Banda B no Couto Pereira (Foto: Caio Junior/Banda B)

De volta mais uma vez a um dos palcos em que brilhou, Zé Roberto lembrou dos tempos em que vestiu a camisa do Coritiba, no início da década de 1970. Craque dentro e fora dos gramados, o artilheiro tratou de minimizar sua importância em uma época de ouro do Verdão, em que chegou a emendar seis títulos estaduais consecutivos. Mesmo ela sendo enorme.

“O Coritiba não foi só Zé Roberto. Era um time de futebol, era coletivo. Era um time que começava com o Jairo lá atrás. Não era Zé Roberto Futebol Clube”, destacou.

Natural de São Paulo, Zé Roberto começou a carreira no Tricolor paulista na primeira metade da década de 1960. Depois passou pelo Guarani antes de desembarcar em Curitiba, onde jogou e ganhou destaque por Atlético e Coritiba. Essa passagem o levou de volta para a terra natal, onde atuou no Corinthians. Ele ainda retornou para o Alto da Glória no final da carreira, mas acabou se aposentando mesmo pelo Furacão.

Notícias relacionadas:

Com tempos distintos e show de Alex, Coxa vira sobre o Rio Branco e se garante nas semifinais