A coisa não anda nada boa para o zagueiro Cris, do Paraná Clube. O jogador foi expulso na derrota tricolor por 1 a 0 para a Ponte Preta, na última terça-feira, e ontem à noite foi até o Rio de Janeiro para ser julgado pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) por conta de outra expulsão na Série B, na derrota por 4 a 2 para o ASA de Arapiraca, no dia 09 de julho.

O jogador foi enquadrado no artigo 254 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD), por “praticar jogada violenta” e acabou pegando a pena máxima de seis partidas de suspensão. Como já cumpriu a automática, Cris teria que ficar fora de mais cinco jogos do Tricolor na Série B. “Foi um julgamento inusitado, já que eles usaram como referência para a punição do atleta Cristiano o resultado do atleta do ASA, que pegou punição de três partidas”, afirmou o advogado do Paraná, Itamar Côrtes.

O volante Emerson, do ASA, também foi expulso no mesmo jogo e julgado nesta quarta-feira. Assim como Cris, ele também pegou a pena máxima de acordo com o artilgo em que foi enquadrado, o artigo250 (praticar ato desleal ou hostil durante a partida), que previa suspensão de até três partidas. Vale lembrar que Cris será novamente julgado pelo STJD, dessa vez pela expulsão diante da Ponte Preta e que de fato ele vai desfalcar o Paraná por seis partidas, contando a automática pelo cartão vermelho diante da Macaca.

Mas o dr. Itamar Côrtes garantiu que o Tricolor vai recorrer da decisão para tentar diminuir a pena do zagueiro Cris. “Com certeza é um resultado adverso. O Paraná Clube vai recorrer e buscar o efeito suspensivo. Tenho certeza de que teremos um resultado bem mais favorável”, completou o advogado.

Cris também se manifestou e disse que foi injusta a pena que recebeu. “Ninguém imaginou que seriam seis partidas. É complicado falar de STJD, é chover no molhado, a melhor defesa é ficar calado. O Paraná tem pessoas qualificadas para fazer essa defesa. Eu sempre trabalhei e nunca machuquei ninguém. Eu chego forte, mas nunca tive problema com isso. Eu to tranquilo, confio em Deus e sei que estou em um clube que vai fazer de tudo para me colocar em campo. Pra mim foi uma injustiça e ouvi de outros atletas que foi um absurdo também. Mas eu torço pra que a gente consiga uma pena justa quando recorrermos”, disse;

O Tricolor volta à campo neste sábado para enfrentar o São Caetano, a partir das 16h20, na Vila Belmiro, sem a presença de Cris e também sem o zagueiro Luciano Castán, também expulso na partida contra a Macaca.