Por Pedro Melo 

Padre Neimar (com a camisa 5) antes da partida contra a Chape Cusmano Belga, time que homenageou a Chapecoense. (Divulgação/Clericus Cup)

Neimar é o grande líder da seleção brasileira e tem uma grande responsabilidade não apenas dentro de campo, mas fora dele também. Esse não é o camisa 10 da seleção brasileira e atacante do Barcelona, mas sim, o Dom Neimar Troes, que estuda em Roma desde outubro do ano passado e disputa a Clericus Cup, a Copa do Mundo dos padres, pelo Colégio Pio Brasileiro.

Em entrevista à Banda B por telefone, o padre paranaense de Marechal Cândido Randon se mostrou surpreso com toda a repercussão e pela coincidência entre os nomes. “Foi algo muito inesperado porque quando começou a sair informações falaram em Neymar do Vaticano e muita gente ficou curioso para saber. Mas não sou jogador de futebol e nem é o meu objetivo. É muito interessante mostrar coisas boas porque a igreja e nós, padres, ajudamos muita gente”, disse.

Porém, ao contrário do craque da seleção brasileira, o padre Neimar não veste a camisa 10 e comparou o seu futebol ao de Dunga, capitão do Brasil na conquista do tetra em 1994. “Eu sou camisa 5 e jogo mais ou menos na função e no estilo do Dunga até pelo meu porte físico porque sou forte e rápido. Tenho a função de marcar e articular o time”, elucidou.

Ao contrário do craque da seleção, Neimar Troes é o camisa 5 do time brasileiro. (Divulgação/Clericus Cup)

Além de ser o armador da equipe, o sacerdote paranaense também é o capitão de sua seleção e esclareceu o motivo da escolha. “Eu sou o líder do nosso colégio, então, mais do que do time, eu sou responsável pela parte burocrática da equipe na competição. Por ser jogos oficiais e tudo mais, a parte burocrática é muito grande. Nosso time tem muita humildade e união e está sendo muito bacana”, disse.

Não é apenas pela coincidência entre os ‘Neymares’ que o time brasileiro está chamando a atenção. Sem muita representatividade no torneio, o Colégio Pio Brasileiro se classificou para a próxima fase com apenas uma derrota em seis jogos e disputa as quartas de final no dia 06 de maio. Nas outras 10 edições, a melhor posição do time brasileiro foi o terceiro lugar, em 2010.

“Como o time do Brasil é formado por padres que estão fazendo mestrado, a passagem deles é muito rápido e dificulta na consistência do time. A melhor campanha foi quando terminou em terceiro lugar em 2010. Esse ano além de associar o nome do padre Neimar com o Neymar, do Barcelona, estamos com uma equipe forte e entre eles está o padre Carlos Gomes, que já jogou no Goias e é o nosso goleiro”, comentou o paranaense.

Como acontece a ‘convocação’ do Brasil?

O Colégio Pio Brasileiro conta com 80 padres estudando no Vaticano e o padre Neimar ainda revelou que o time brasileiro ainda conta com jogadores de outros três países, entre eles a Argentina. “O critério para ser jogador da Clericus Cup é ser um padre ou seminarista que esteja morando em Roma para estudar. Não pode ser um padre que joga bem e vai jogar futebol. Precisa estar aqui para estudar. Temos mais de 100 colégios de todo o mundo que vêm para estudar as diversas áreas e necessidades da igreja. O Colégio Pio Brasileiro tem em torno de 80 padres, conseguimos 11 jogadores e mais outros de Equador, Nicarágua e Argentina. A partir disso é que foi organizado o nosso time”, acrescentou o padre.