O técnico Adilson Batista está mantendo mistério em torno da equipe que vai escalar para o clássico Atletiba do próximo domingo. No entanto, a tendência é que ele repita a mesma formação utilizada no jogo contra o Bahia, na última quarta-feira, com apenas uma modificação: Wagner Diniz deve voltar à lateral direita no lugar de Rômulo, que não pode jogar o Paranaense por não ter sido inscrito à tempo no estadual.

De resto, Adilson Batista deve manter o mesmo time que goleou o Bahia por 5 a 0 pelas oitavas de final da Copa do Brasil: Renan Rocha; Wagner Diniz, Manoel, Rafael Santos e Paulinho; Deivid, Robston, Paulo Baier e Branquinho; Guerrón e Adaílton. Quem pode pintar no time rubro-negro é o meia Madson, que aí disputaria vaga com Branquinho no meio-campo.

O volante Kleberson foi liberado pelo departamento médico, depois de ficar duas partidas de fora se recuperando de uma lesão muscular, e está à disposição de Adilson Batista para o clássico. Certamente o “Xaropinho” ficará como opção no banco de reservas para o decorrer do jogo.

O treinador atleticano disse que observou a maneira de jogar do Coritiba, mas confia que o Furacão pode vencer o clássico. “Eu observei a equipe deles, tão jogando bem. Eles têm jogadores muito bons, leves, o Marcelo Oliveira tá fazendo um grande trabalho. Mas o Atlético também sabe tocar a bola e criar jogadas de ataque, não jogamos apenas em cima de bolas paradas. A bola parada é uma arma importante, temos o Paulo Baier que bate muito bem, mas a gente já teve um volume de jogo melhor nas últimas três partidas”, analisou Adilson.