O vice-presidente do Coritiba, Vilson Ribeiro de Andrade, esteve nos estúdios da rádio Banda B nesta terça-feira, para participar do programa Balanço Esportivo. Entre outros assuntos, o dirigente alviverde falou sobre contratações, mudanças e reformas no Couto Pereira, modelo de gestão para clubes de futebol, e ainda revelou com exclusividade sobre o projeto do novo centro de treinamento do Coritiba. Confira a íntegra da entrevista do dr. Vilson:

Possível candidatura a presidente do Coritiba no fim do ano
“Nós estamos pensando no Coritiba, eleição apenas depois de outubro quando abrem as inscrições de chapas. Antes disso, eu acho que esse assunto atrapalha. Aparecem um monte de oportunistas que dificultam o trabalho. As eleições são em dezembro e eu acho que o nosso grupo tem que continuar, estamos trabalhando muito. Pegamos o clube com R$ 68 milhões de dívidas e não foi fácil. Estamos trabalhando com cautela e criatividade, nosso grupo é forte”

Dívida do Coritiba
“A dívida é administrável e agora estamos com superávit dentro da nossa gestão. Mas trazendo os problemas do passado, a gente ainda tá pagando em torno de R$ 1,5 milhão por mês de dívidas. Não critico nenhum dirigente anterior porque sei como é difícil adminsitrar futebol. O dirigente não faz dívida porque quer, faz porque precisa. Mas o futebol hoje não permite uma gestão irreponsável, ele pune quem faz isso. E nós trabalhamos muito forte nesse quesito de gestão”

Proposta do Botafogo por Anderson Aquino
“Essa proposta de U$ 4 milhões do Botafogo não existiu, o que teve foi uma proposta de R$ 2 milhões e mais o empréstimo do jogador Caio, e nós recusamos. Nós temos uma parte do passe do Anderson e queremos é adquirir o restante. Estamos em negociação avançada até”

Criação de uma nova liga de clubes para substituir o Campeonato Brasileiro
“A questão da nova liga pra mim não vai acontecer, porque o Clube dos 13 implodiu. Houve um racha total e hoje o Clube dos 13 não tem mais razão de existir. O que precisa ser feito é uma associação que defenda os interesses dos clubes. O Clube dos 13 implodiu porque ficou apenas um repassador de verbas da TV e mais nada. A gente se preocupa com alguns pontos da Lei Pelé que prejudicam os clubes”

Contrato de direitos de transmissão com a Rede Globo
“Fomos o segundo clube a optar pela Rede Globo porque tínhamos uma proposta muito boa e sabíamos que o Clube dos 13 não tinha uma proposta tão boa assim. Entendemos que a melhor solução era a Globo e todos os clubes assinaram também. Não é questão de monopólio, é questão de negociação. Quanto à essa nova liga, eu acho muito difícil, o poder da CBF é muito forte e os clubes estão muito vinculado a algumas entidades. A televisão, por exemplo, ano que vem vamos chegar a maior receita de TV da história. Aumentamos em mais de três vezes o que recebíamos. Isso vai trazer uma tranquilidade para os clubes inteligentes em termos de gestão. Aqueles que não administram bem, vão gastar demais. Eu acho um absurdo um técnico receber R$ 700 mil por mês. Essas coisas inviabilizam os clubes”

Receita necessária para administrar um clube
“Esse nível de separação de São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais e Belo Horizonte, que recebem receitas absurdas, isso tem que mudar. Nós estamos trabalhando pra isso. O primeiro índice de receita do Coritiba são os sócios, nós temos 30 mil sócios e fechamos ontem com R$ 27.200 adiplentes. Isso quer dizer que não tivemos perda depois do jogo contra o Vasco. O sócio está do lado do clube, está nos ajudando financeiramente. Você tem a televisão para investimento porque a mensalidade do sócio paga tua folha salarial. Nós ainda precisamos melhorar muito em gestão. Eu acho que um clube só é competitivo a nível nacional se tiver uma renda de pelo menos R$ 100 milhões”

Poder excessivo que a CBF tem atualmente
“A legislação dá muito poder à CBF. Ela hoje representa o futebol como competição e você fica amarrado a essa legislação. No Brasil se fala muito da CBF porque o Ricardo está lá há mais de 15 anos, e veio do sogro que também ficou mais de 15 anos. Isso gera comentários de uma forma natural, eu não quero criticar ou defender a CBF. Mas tem muita coisa pra melhorar ainda. A Lei Pelé não faz jus ao nome desse grande jogador, essa lei trouxe alguns benefícios, mas trouxe muito mais dificuldades aos clubes. Até abril o empresário mandava no futebol, ainda bem que isso está mudando. Antes você tinha o empresário na tua frente, o clube tinha que liberar os jogadores. Mas isso hoje mudou”

Investimentos para montar o atual elenco coxa-branca
“Nós temos adquirido pelo menos 50% do passe dos nossos jogadoresInvestimos R$ 7 milhões em todo nosso plantel neste ano, porque o Felipe Ximenes é muito atento ao futebol e vai pontualmente buscar o jogador dentro das condições do clube. Montamos um time competitivo, chegamos uma final de Copa do Brasil – e que me desculpe o Sálvio Spínola, o respeito muito, mas ele foi infeliz naquela partida e perdemos o título por uma má arbitragem, mas isso acontece”

Arbitragem de Sálvio Spínola na final da Copa do Brasil
“Eu já vi ele apitar ótimas partidas, mas nessa ele foi infeliz. Erros que acontecem, mas às vezes um erro não influencia no resultado da partida. Só que nesse jogo, o erro foi grave, ele não marcou um pênalti que nos tirou o título”

Torcedores que assistem aos jogos de pé no Setor Mauá atrapalhando quem quer ver sentado
“Hoje nós tivemos uma reunião executiva e estamos tomando algumas medidas com relação a isso. A primeira delas é distribuir folhetos educativos aos torcedores. A segunda são placas que vamos colocar ali proibindo que fiquem em pé. Em terceiro, vamos dar um prazo para cumprirem isso. Caso não seja cumprido, vamos tirar essas pessoas com seguranças. Isso é uma questão cultural e de conscientização, que nós vamos trabalhar em cima. Não, infelizmente não temos e isso é um problema do passado que não temos como resolver no momento. Mas estamos com um projeto de diminuir um pouco o espaço do visitante, está muito acima do 15% e não encontramos isso em nenhum outro estádio. Temos que adaptar alguns banheiros, fazer mais uma saída para os torcedores visitantes para diminuir o espaço deles. Com isso, nós trazemos aquela separação para onde ficam os dirigentes visitantes, aumentando 3 mil lugares para mais torcedores do Coritiba. Assim acho que podemos resolver esse problema”

Greyson Assunção - rádio Banda B

Melhorias no Couto Pereira
“Nós temos três ações muito fortes: Primeiro, é a melhoria elétrica que vamos gastar em torno de R$ 400 mil; nós temos algumas ações pontuais de melhorias de banheiros; e temos um projeto em fase final onde a ideia é fechar a curva da Mauá, colocando 120 camarotes e em cima todas as cabines de rádio. É um projeto antigo, mas nós o reformulamos. A prefeitura já autorizou essa obra e o mais importante é que vamos montar cabines especiais para a imprensa. Vamos desmanchar as cadeiras cobertas e devemos fazer mais 50 camarotes. A imprensa vai ter entrada independente e uma cobertura especial. As cabines de rádio viriam para o setor Mauá, embaixo dos 120 camarotes. A iluminação sairia por cima e a capacidade do estádio passaria para 42 mil pessoas, para atender Libertadores da América também”

Compra de um terreno para construir o novo CT do Coritiba
“Estamos na fase final do negócio, é uma área de 18 alqueires. É um terreno fantástico, onde vamos construir nosso novo CT com um investimento de cerca de R$ 50 milhões. Já temos um investidor pra isso e eu ainda não tinha falado disso, porque ainda não assinamos a escritura, que está na fase final. Creio que em 15 dias vamos ter novidades sobre o assunto. Queremos fazer um evento com a imprensa e os nossos conselheiros para mostrar todas as dependências. É um local maravilhoso, saí encantado de lá e o preço está compatível com os nossos recursos. Vamos sair de uma área atual de 3 alqueires para uma de 18. Na minha visão é um sonho fazer isso. Se tudo der certo, em um ano estamos com o novo CT. Nós podemos colocar lá dez campos, um ginásio coberto, dependências para trazer 120 crianças do Qatar para treinarem aqui. Esse é um projeto em parceria com o governo do Qatar. Além disso, vamos ter 62 quartos especiais para os atletas passarem o dia no CT. A ideia é fazer uma universidade e uma escola pra região e trazer as crianças e jovens estudarem à noite lá. É um trabalho social para a comunidade”

Programas sociais
“Nós temos uma série de programas, temos programas com o governo do Estado, com o Pequeno Princípe e mais alguns projetos para esse ano ainda. Queremos trazer meninos carentes para treinarem no novo CT pra tirar esses jovens da marginalidade”

Novo espaço para jovens
“Estamos inaugurando o novo espaço de jovens do Coritiba. Temos 62 jovens morando no antigo “Vagão”, que agora vai ser um hotel cinco estrelas. Investimos R$ 350 mil para reformar o espaço. A grande surpresa é o nome do novo espaço, que eu não vou falar, mas será inagurado no próximo dia 28. É um espaço maravilhoso no Couto Pereira que vai abrigar esses 62 meninos”

Categorias de base
“O Coritiba fez um trabalho e unificou todas as áreas. Então hoje fazemos um trabalho desde o dente de leite até a chegada ao profissional. Nossa ideia é ter no profissional sempre 30 ou 40% de atletas da base. Hoje temos uma média de 40% no elenco atual. Antes a gente esperava vir o jogador, fazia os testes e depois contratava. Nós seguimos com esse trabalho, mas além disso nós buscamos meninos revelados em equipes menores, através de olheiros. Compramos o passe desses jovens jogadores, e com isso, vamos qualificando o elenco da base. Até 2007, o Brasil aproveitava apenas 4,8% dos meninos da base e o restante se perde. O clube que mais vende meninos é o Cruzeiro e em segundo o Atlético, na gestão do Atlético. O Atlético vive um bom momento financeiro devido ao dinheiro arrecadado desses meninos. O Coritiba nos últimos cinco anos não vendeu um menino sequer e estamos montando esta estrutura agora”

Contratações
“A questão de contratações você tem que avaliar, já montamos um time competitivo. Nosso plantel é forte, mas não podemos fazer loucuras porque ainda estamos administrando uma dívida alta. Eu não posso contratar um jogador por R$ 7 milhões para ficar dois anos”

Volta de Keirrison e Alex
“Keirrison não volta, sem chance. Depende dele. Nós fizemos uma proposta no começo do ano, mas ele renovou com o Fenerbahçe”

Gramado do Couto Pereira
“Nesses 15 dias nós cortamos todo o gramado e plantamos a grama de inverno. Lá pro final de agosto, ela morre naturalmente e aí mudamos de novo. No jogo contra o Ceará, nós vamos ter uma grama nova”

Sua gestão no Coritiba
“Temos um planejamento de cinco anos e conquistamos coisas surpreendentes neste ano. Chegar em 30 mil sócios foi minha maior alegria, quando falei nisso ano passado me chamaram de sonhador. Mas nós provamos que com um time competitivo podemos ir longe. Ainda precisamos resolver muitas coisas em função do passado, temos que cumprir nossas obrigações, mas estou muito feliz de estar no futebol. Sempre fui um apaixonado por futebol, mas meu negócio sempre foi gestão e trouxe essa filosofia ao clube e o clube aceitou essa profissionalização”