globo.com
Pela nona vez no ano, Vettel faz o número 1 da vitória

Após três corridas sem vencer, parecia que a sorte tinha abandonado Sebastian Vettel no GP da Bélgica. Afinal, antes da largada, foi descoberto que seu carro tinha um problema de bolhas nos pneus dianteiros por causa do acerto de pista molhada para os treinos. Mas o alemão da RBR tratou de surpreender a todos novamente. Com uma corrida inteligente e agressiva, ele superou os rivais em Spa-Francorchamps e não teve problemas para chegar ao seu sétimo triunfo em 2011, encerrar o incômodo jejum e, de quebra, ampliar a vantagem na liderança do Mundial para 92 pontos.

Apesar de uma péssima largada, quando caiu para oitavo, o australiano Mark Webber, da RBR, conseguiu se recuperar e chegar em segundo, após um excelente desempenho com os pneus médios. Jenson Button, da McLaren, que saiu apenas em 13º, fez uma tática ousada com um pit stop precoce, andou a maior parte da corrida com os macios, fez várias ultrapassagens, e foi premiado com um pódio. Fernando Alonso, que vinha em terceiro, foi superado pelo inglês no fim. O espanhol da Ferrari teve de se contentar com a quarta posição.

globo.com
Bruno Senna bateu na largada e ficou13º lugar

Os brasileiros não tiveram um bom desempenho. Sétimo colocado no grid, Bruno Senna fez uma largada desastrada, acertou Jaime Alguersuari, perdeu posições e acabou punido. O piloto da Renault-Lotus chegou apenas em 13º. Felipe Massa, da Ferrari, quarto no grid, ficou preso atrás de Nico Rosberg por muito tempo e ainda sofreu um furo de pneu no fim. Ele foi apenas o oitavo na corrida, após superar o russo Vitaly Petrov na última volta. Rubens Barrichello, da Williams, tocou em Kamui Kobayashi no fim, precisou trocar o bico e caiu para a 16ª posição.

Na corrida que marcava os 20 anos de sua estreia na Fórmula 1, Michael Schumacher lembrou aquele piloto dos velhos tempos. Após largar em último por causa de uma roda que se soltou no treino e provocou um acidente, o alemão da Mercedes fez uma bela prova de recuperação em Spa e chegou na quinta posição, após ultrapassar o companheiro Nico Rosberg a três voltas do fim. Seu compatriota terminou em sexto.

A próxima corrida da temporada será o GP da Itália, no circuito de Monza, no dia 11 de setembro.

A corrida

Após dois dias com chuva nos treinos, a previsão para a corrida era de pista seca. E a largada foi autorizada com o tempo nublado. Vettel manteve a ponta na La Source, seguido por Rosberg e Massa, que foi ultrapassado em seguida por Hamilton. Webber saiu muito mal e caiu de terceiro para oitavo. Alonso, por sua vez, subiu para a quinta posição.

Bruno Senna, que tinha a sétima posição no grid, exagerou na freada para a La Source, travou as rodas e acertou o carro de Jaime Alguersuari, que atingiu o de Alonso na sequência. O espanhol da STR acabou tendo a suspensão dianteira esquerda quebrada e abandonou. O brasileiro caiu para a última posição e ainda precisou entrar nos boxes ao fim da primeira volta para trocar o bico. Mais tarde, ele acabaria punido com um drive through por causa do incidente.

Mais atrás, Webber e Button fizeram seus pit stops logo na quarta volta. Com problemas nos pneus, Hamilton foi ultrapassado por Massa e Alonso seguidamente, mas se manteve no ritmo dos rivais. O brasileiro, entretanto, ficou preso mais uma vez atrás de Rosberg, como em várias corridas desta temporada. Ele acabaria superado, na mesma volta, pelo companheiro espanhol e pelo inglês da McLaren, caindo para a quinta posição.

Vettel, outro que sofria com as bolhas nos pneus dianteiros, parou na sexta volta e Rosberg assumiu a liderança. Apenas momentaneamente, porém, já que Alonso e Hamilton o ultrapassaram rapidamente em seguida. Enquanto isso, o alemão da RBR, com os compostos novos, andava bem rápido. O espanhol entrou nos boxes na nona volta e o inglês, na 11ª.

A liderança voltou às mãos de Vettel, enquanto Alonso já estava novamente na segunda posição após superar Petrov e Kobayashi na pista. Hamilton passou o russo em seguida e ficou atrás do japonês da Sauber. Só que, na 13ª volta, o inglês disputava a posição com o rival na reta e os dois se tocaram. Lewis levou a pior e bateu forte na freada para a Les Combes. Felizmente nada aconteceu com o piloto, mas o safety car teve de entrar na pista.

Vettel aproveitou a bandeira amarela para fazer mais uma parada e caiu para terceiro. Alonso manteve na ponta na relargada e o alemão da RBR, com pneus novos, superou facilmente o companheiro Webber. Já Massa era superado mais uma vez por Rosberg, caindo para quinto.

Na 18ª volta, Vettel finalmente passou Alonso, na freada para a Les Combes, e abriu uma boa vantagem na liderança. Com uma tática diferente, Button vinha escalando o pelotão e assumiu o sexto posto na 23ª, após superar Schumacher e Adrian Sutil de forma seguida. O inglês ainda ultrapassou Massa, por fora, na Bus Stop, para subir para quinto.

Com Vettel tranquilo na ponta apesar das bolhas nos pneus, Button já era o quarto colocado após superar Rosberg. Na 30ª volta, a última janela de paradas foi aberta com a entrada de Alonso e Vettel. Webber entrou na passagem seguinte. Todos eles colocaram os médios para não precisar fazer mais pit stops na corrida. O inglês da McLaren assumiu a ponta.

Só que por pouco tempo. Na 32ª, Vettel superou Button e voltou a liderar. O inglês entrou nos boxes uma volta depois e caiu para a quarta posição. Massa, que tinha parado na 31ª, teve um pneu furado e entrou nos boxes na passagem seguinte. Com isso, o brasileiro caiu para a 11ª posição. Webber passou Alonso em seguida e deu condições a uma dobradinha da RBR em Spa.

Schumacher, que largou em último e fazia uma excepcional prova de recuperação, colou no companheiro Rosberg na 38ª volta, na briga pela quinta posição. Pelo rádio, a Mercedes avisou aos dois que eles estavam livres para lutar na pista. E o heptacampeão conseguiu a ultrapassagem quatro voltas depois, assegurando uma boa posição nos 20 anos de sua estreia na F-1.

Com Vettel bem na frente e Webber em segundo, a briga nas últimas voltas foi entre Button e Alonso. O inglês passou o espanhol a duas voltas do fim e assegurou o pódio. O alemão e o australiano da RBR, por sua vez, cruzaram a linha de chegada com tranquilidade, em mais uma dobradinha.

Confira o resultado final do GP da Bélgica (308,052 quilômetros):

1 – Sebastian Vettel (ALE/RBR-Renault) – 44 voltas em 1h26m44s893
2 – Mark Webber (AUS/RBR-Renault) – a 3s741
3 – Jenson Button (ING/McLaren-Mercedes) – a 9s669
4 – Fernando Alonso (ESP/Ferrari) – a 13s022
5 – Michael Schumacher (ALE/Mercedes) – a 47s464
6 – Nico Rosberg (ALE/Mercedes) – a 48s674
7 – Adrian Sutil (ALE/Force India-Mercedes) – a 59s713
8 – Felipe Massa (BRA/Ferrari) – a 1m06s076
9 – Vitaly Petrov (RUS/Renault-Lotus) – a 1m11s917
10 – Pastor Maldonado (VEN/Williams-Cosworth) – a 1m17s615
11 – Paul di Resta (ESC/Force India-Mercedes) – a 1m23s994
12 – Kamui Kobayashi (JAP/Sauber-Ferrari) – a 1m31s976
13 – Bruno Senna (BRA/Renault-Lotus) – a 1m32s985
14 – Jarno Trulli (ITA/Lotus-Renault) – a 1 volta
15 – Heikki Kovalainen (FIN/Lotus-Renault) – a 1 volta
16 – Rubens Barrichello (BRA/Williams-Cosworth) – a 1 volta
17 – Jerome d’Ambrosio (BEL/MVR-Cosworth) – a 1 volta
18 – Timo Glock (ALE/MVR-Cosworth) – a 1 volta
19 – Vitantonio Liuzzi (ITA/Hispania-Cosworth) – a 1 volta

Não completaram:
Sergio Pérez (MEX/Sauber-Ferrari) – a 17 voltas/mecânico
Daniel Ricciardo (AUS/Hispania-Cosworth) – a 31 voltas/mecânico
Lewis Hamilton (ING/McLaren-Mercedes) – a 32 voltas/acidente
Sebastien Buemi (SUI/STR-Ferrari) – a 38 voltas/asa traseira
Jaime Alguersuari (ESP/STR-Ferrari) – a 44 voltas/acidente

Melhor volta:Mark Webber (AUS/RBR-Renault) – 1m49s883, na 33ª