Campeão invicto com uma rodada de antecedência, o Coritiba foi para o clássico diante do Atlético precisando de um empate para garantir a conquista do primeiro turno e uma vaga na final do Paranaense. Com um primeiro tempo arrasador, Biil, Jonas e Davi marcaram em apenas 7 minutos os três primeiros na contagem alviverde.

Nieto descontou aos 46 e marcou o milésimo gol da história dos Atletibas. Gol que mudou a história do segundo tempo, quando o que se viu foi um Atlético forte, marcador e muito ofensivo. Logo no início, o atacante argentino ampliou o placar e botou fogo no clássico. O Furacão se lançou ao ataque e assustou o Coxa, que teve que recuar para tentar garantir o resultado.

Com a saída de Paulo Baier e Marcos Aurélio, os dois times perderam em criatividade e o Verdão aproveitou para marcar o quarto com Davi, que deixou o seu segundo tento. O meia assinou o quarto e garantiu o placar em 4 a 2 para o Coxa, que pode, enfim, comemorar a conquista do primeiro turno do estadual.

Domínio em verde e branco
O Coxa começou arrasador no primeiro tempo do Atletiba de número 345. O Couto Pereira presenciou um clássico de um time só, com o Verdão bem estruturado na meia cancha e que, pelo lado esquerdo, foi soberano diante do rival Atlético. Os primeiros minutos de partida foram de oportunidades do Alviverde, com Léo Gago e Davi. Em jogada de classe, Leandro Donizete ajeitou no peito, emendou um chapéu em Paulo Baier e levantou a torcida coxa-branca, ditando o que seria regra na primeira volta.

Em sete minutos, foram três gols para o time da casa, que se aproveitou do apagão da defesa do Atlético para tentar sacramentar a partida. Depois de um lance perigoso na cobrança de falta de Baier, o atacante Bill recebeu na cara do gol e chutou no canto direito para abrir o marcador para o Coritiba, aos 17. Aos 22, Marcos Aurélio cobrou escanteio para Jonas, sozinho na área rubro-negra, subir e ampliar para o Coxa. Mal a bola rolou e o Alviverde fez o terceiro: Eltinho pela esquerda cruzou para a cabeçada de Davi, sem chance de defesa para Sílvio, com 24 minutos de partida.

A marcação do Alviverde estava empenhada em marcar Paulo Baier, principal articulador do time rubro-negro. O Coxa seguiu no ataque e o jogo seguia truncado, com faltas pesadas e nervosismo jogando pelos dois lados. Aos 46, a defesa do Coritiba não acompanhou o argentino Nieto. Paulinho cruzou na área e o atacante desviou de cabeça na esquerda de Edson Bastos para marcar o primeiro do Atlético e o milésimo gol da história dos Atletibas.

Atlético se lança ao ataque
O segundo tempo começou com o Atlético acelerado, na pressão pra cima do time alviverde. Aos 2, Nieto aproveitou a cobrança de escanteio de Madson e subiu mais alto que a defesa do Coxa pra marcar o segundo do Furacão. Marcos Aurélio ainda levou perigo em duas oportunidades, mas o início da etapa foi mesmo de inspiração para o Atlético.

O Coxa sentiu o gol e passou a se desconcentrar na meia cancha, abrindo espaços para o Furacão, que passou a dominar a partida. Héracles, Paulinho e Paulo Baier trabalharam bem e tocavam a bola com tranquilidade na intermediária. O árbitro Héber Roberto Lopes apareceu bastante no segundo tempo, ao amarelar, em menos de cinco minutos, Léo Gago, Emerson, Leandro Donizete e Pereira, do Coxa.

Mesmo devendo em velocidade e precisão o Coritiba conseguiu se reestabelecer em campo. Aos 27, Davi recebeu escanteio e fuzilou o goleiro Sílvio para carimbar o quarto gol do Verdão. O time se animou ainda mais, quando Guerrón, que entrou no lugar de Paulo Baier aos 27, foi expulso depois de 5 minutos em campo. O meia-atacante teria agredido Eltinho e se envolveu em uma discussão com o goleiro Edson Bastos. O Coxa tratou de segurar o resultado e garantiu o título do primeiro turno com uma rodada de antecedência, em pleno Couto Pereira.