O último dia de competições nas Olímpiadas de Londres reservou emoções opostas. O Brasil depois de ter duas chances de liquidar o jogo perdeu de virada para a Rússa no vôlei de quadra masculino e ficou com a medalha de prata. Já no pentatlo moderno, competição que reúne cinco modalidades, a pernambucana Yane Marques conseguiu um bronze inédito.

Primeira vez na história

Sob forte emoção, a pernambucana Yane Marques conquistou hoje (12) o bronze olímpico inédito no pentatlo moderno. O esporte tradicional nas Olimpíadas, criado em 1912, é dividido em cinco modalidades. Yane Marques enfrentou mais de dez horas de competição, conquistando o terceiro lugar com os resultados da esgrima, natação, hipismo e combinado (alternância de corrida e tiro esportivo).

Com o resultado inédito no pentatlo, o Brasil ganha mais uma posição e fica no 22º lugar no ranking de medalhas, com três de ouro, cinco de prata e nove de bronze.

Na natação, a brasileira concluiu os 200 metros livres em sexto lugar e somou 1.152 pontos no hipismo, ficando em 9º lugar na classificação geral. No combinado, Yane Marques dividiu a disputa com a líder da prova, Laura Asadauskaite, da Lituânia, nos primeiros metros de corrida.

A última etapa do pentatlo foi disputada em três voltas por um percurso de mil metros, que mesclava trechos em terra e grama em um terreno acidentado. Em cada volta, as atletas ainda tinham a disputa do tiro esportivo, com cinco chances de acerto.

Na primeira volta, a brasileira conseguiu liderar a prova por alguns segundos, mas foi ultrapassada pela lituana, que retomou a liderança e manteve a posição até o final da prova. A pernambucana Yane Marques ainda foi ultrapassada pela britânica Samantha Murray após a terceira disputa de tiro, ficando com o terceiro lugar até o final do combinado.

A atleta brasileira conquistou o ouro nos Jogos Panamericanos de 2007 e a prata nos Panamericanos de 2011.

Os Estados Unidos continuam na liderança do quadro de medalhas nos Jogos de Londres, com 104 conquistas, sendo 46 medalhas de ouro, seguidos pela China, que conquistou 87 medalhas, sendo 38 de ouro. A Grã Bretanha se mantem na terceira posição, agora com 65 medalhas, sendo 29 de ouro e passando a contabilizar 17 de prata.

Prata no vôlei

Por 3 sets a 2, o Brasil foi derrotado pela equipe russa e ficou com a prata no vôlei de quadra masculino nos Jogos Olimpícos – repetindo o resultado de Los Angeles, em 1984, e de Pequim, em 2008. No último dia de disputas em Londres, o Brasil está na 23º lugar no ranking de medalhas – três de ouro, cinco de prata e oito de bronze.

A equipe brasileira liderou os dois primeiros sets, mantendo o placar em 25 a 19 e, em seguida, 25 a 20. Mas a Rússia virou o jogo, conquistando os sets seguintes, com placares de 29 a 27, 25 a 22 e fechou o quinto set, com 15 a 9 pontos. É a primeira vez que os russos conquistam a medalha de ouro olímpico no vôlei masculino.

Há 20 anos, a seleção brasileira conquistou a primeira medalha de ouro no vôlei masculino nos Jogos Olímpicos de Barcelona, em 1992, comandada pelo técnico José Roberto Guimarães. Em 2004, em Atenas, os meninos conseguiram a segunda vitória olímpica. No mesmo ano, a Rússia ficou com a medalha de bronze.

Nas últimas Olimpíadas, em 2008, em Pequim, o Brasil levou a medalha de prata e a Rússia manteve sua posição no ranking, com mais uma medalha de bronze. A disputa há quatro anos foi conquistada pelos Estados Unidos.

A seleção feminina de vôlei garantiu ontem (11) a terceira medalha brasileira de ouro nos Jogos de Londres. As meninas perderam o primeiro set por 25 a 11 para as norte-americanas, mas viraram o placar com parciais de 25 a17, 25 a 20 e 25 a 17.