A organização do UFC confirmou, nesta terça-feira, que a luta entre Anderson Silva e Chael Sonnen não será mais realizada no Brasil, mas sim em Las Vegas, no dia 07 de julho, no UFC 148. Durante a entrevista coletiva de hoje, Spider não escondeu a decepção de não enfrentar seu maior desafeto em solo brasileiro, com apoio da torcida local.

“Eu sou brasileiro, grato a tudo o que os meus fãs brasileiros me proporcionaram até agora. Não estou feliz por a luta não ser realizada no Brasil, mas não tenho fãs somente no Brasil. Vou fazer meu trabalho onde quer que seja. Houve uma aliança que o UFC fez com uma companhia que não foi suficientemente profissional para entender o tamanho do evento”, afirmou.

Essa será a segunda vez que Spider e Sonnen se enfrentam. Na primeira luta, vitória do brasileiro, que no UFC 148, defenderá mais uma vez o cinturão dos pesos-médios. Sempre provocativo e polêmico, o norte-americano negou que tenha pedido a mudança do lugar do confronto por medo de ser hostilizado pela torcida brasileira.

“Não tenho nada contra os brasileiros, e sim contra alguém sentado a poucos metros de mim. O Anderson fala do seu legado. Conquistou o cinturão contra o “grande” Chris Leben, defendeu seu cinturão contra o “fenomenal” Patrick Coté e deu show diante do “fortíssimo” Thales Leites. Que legado! Ele diz que eu desrespeitei sua família. Sim, eu fiz isso. E o que você vai fazer a respeito? Use a escola Ed Soares de desculpas para dizer o que terá dado errado quando eu o surrar para todo o mundo assistir. É isso o que acontecerá no dia 7 de julho”, afirmou Sonnen.