O desafio pode parecer simples, mas cautela é palavra de ordem no Paraná Clube que enfrenta o lanterna Duque de Caxias neste sábado (02), às 16h20, na Vila Capanema. Mais ofensivo com as entradas de Cambará e Júlio César, o time de Roberto Fonseca não quer dar moleza para o grupo carioca que, de técnico novo, deve tentar sua recuperação em Curitiba.

“Em casa temos que ter agressividade, mas essa preocupação sempre existe. O Duque de Caxias é um time experiente tem bons jogadores, então temos que jogar realmente. Temos mais uma decisão pela frente”, defende Fonseca. O grande trunfo do treinador é ter dado corpo à zaga que, em oito jogos, tomou apenas cinco gols e é a defesa menos vazada da Série B ao lado de Sport e Criciúma. “Você tem que começar a sua construção por algum lugar e a gente conseguiu, tomamos poucos gols e conseguimos uma solidez na defesa”, elogia.

Valquir Aureliano
Presença da torcida é a grande motivação do grupo tricolor

Se no ataque, as coisas ainda não estão perfeitamente encaixadas, o retorno de Jefferson Maranhão deve dar mais ofensividade ao Tricolor. Outra esperança está nos pés de Giancarlo que tem fama de artilheiro e grande responsabilidade em marcar. “O Duque tá passando por uma situação difícil e a gente tem que se aproveitar disso. A gente sente a responsabilidade, mas tenho certeza que uma hora vai sobrar”, afirma, otimista.

Como tudo começa com uma boa criação, a solução encontrada pelo volante Serginho para que a bola chegue no ataque é caprichar mais no meio campo. “A gente tem que fazer a bola chegar com mais qualidade. Tá chegando bem, mas contra o Vitória a bola não entrou”, analisa o jogador, que destacou a necessidade de vencer para se livrar dos times que já encostam na tabela de classificação.

A Banda B transmite Paraná Clube x Duque de Caxias a partir das 16h deste sábado (02) com narração de Fernando César.