Quando os grandes golpes dos filmes de luta saem das telas do cinema e invadem o octógono, a vitória parece mais próxima. Que o diga o brasileiro Anderson Silva, que teve como professor ninguém menos que o ator Steven Seagal. No nocaute que marcou a sua vitória sobre o também brasileiro Vitor Belfort, o Aranha aplicou um golpe aprendido com o superstar dos filmes de ação: o chute frontal que terminou com o que foi considerada a luta do século no UFC.

UFC/Divulgação
Lyoto Machida nocauteou o veterano Couture, de 46 anos
Na edição 129 da competição do MMA, o baiano Lyoto Machida também fez
uso do golpe mortal para aniquilar o norte-americano Randy Couture, no último sábado. E muitas técnicas novas de luta devem ser usadas pelos pupilos de Seagal. Em entrevista ao Uol Esporte, o ator e mestre de aikidô prometeu novas lições a Silva e Machida. “Estou treinando com eles outros tipos de chutes, joelhadas, cotoveladas e socos. Também estou treinando o trabalho dos pés com eles. Podem esperar coisas novas que estamos trabalhando”, disse, animado.

Conhecido por ser um dos principais lutadores de artes marciais do mundo, Seagal teve contato com Anderson Silva na metade de 2010 e passou a treinar o lutador do UFC. As lições levaram Aranha a vencer com louvor o brasileiro Vitor Belfort por nocaute, com um chute forte no rosto, fruto dos seus treinamentos com o ator internacional. Anderson Silva creditou a Seagal o golpe que garantiu o cinturão na luta com Belfort.

Machida

Depois de Silva, Machida também começou a ter seus treinamentos comandados por Steven Seagal. O ator acompanhou o lutador até Toronto, para a luta no UFC 129, no último sábado.

“Era um golpe que estava adormecido em mim, já não o colocava em prática. Mas o Steven frisou para praticá-lo. Treinei bastante esse golpe, mas sabia que tinha uma hora certa para usá-lo. Senti que ele [Couture] estava com a cabeça baixa e resolvi tentar”, analisou Lyoto.

A resposta do treinador não poderia ser mais positiva. “Estou muito feliz com Machida, ele fez muito bem o golpe. Foi um golpe um pouco diferente do de Silva, mas foi muito bom”, elogiou Seagal, orgulhoso.