Depois de ser punido com uma multa de R$ 27,5 mil reais no último dia 5, o Rio Branco decidiu recorrer da decisão do Tribunal de Justiça Desportiva do Paraná (TJD-PR) e agora aguarda a data do seu novo julgamento.

Os procuradores do Tribunal já decidiram manter o pedido de penalização do Leão da Estradinha que consiste na perda de 22 pontos no Campeonato Paranaense. Caso se cumpra, a punição rebaixa o time para a Série Prata do estadual e livraria dois clubes que ainda lutam contra a queda para a Divisão de Acesso., como Paraná Clube e Paranavaí.

A defesa do Rio Branco, representada pelo advogado Domingos Moro, irá tentar a redução da multa aplicada no primeiro julgamento além da absolvição completa do time de Paranaguá. Por outro lado, o procurador do TJD-PR, Gilson Goulart, garante que a vai tentar reverter a decisão dos auditores, por acreditar que o clube teve, sim, culpa ao escalar o atacante Adriano de Oliveira Santos.

“Continuamos entendendo que o Rio Branco foi negligente na conferência dos documentos na hora de enviar o contrato do atleta, independente de haver ou não o dolo (má-fé)”, disse em entrevista ao Paraná Online.

A defesa do clube rebate, dizendo que o Tribunal não deve considerar o clube como único culpado na escalação irregular do atleta. “Se o clube for punido com a perda de pontos, estamos preparados para levar o caso ao Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD)”, frisou Domingos Moro.