Depois de ser denunciado pela escalação de um jogador irregular, o Rio Branco teve, mais uma vez, o seu julgamento adiado pelo Tribunal de Justiça Desportiva do Paraná (TJD-PR). O prazo para a decisão do Tribunal é de duas semanas, mas com o adiamento, o Leão da Estradinha poderá ter seu caso julgado só depois que o campeonato terminar.

A irregularidade foi detectada no registro do atacante Adriano de Oliveira Santos e, segundo o advogado do clube, Domingos Moro, a solicitação de adiamento foi feita pelos auditores, que pediram mais tempo para reavaliar o processo. “Colocamos grandes dúvidas nos auditores e eles vão estudar para votarem daqui duas semanas”, disse o advogado, que responsabiliza o sistema da CBF pelo equívoco no registro do jogador.

“Querem fazer justiça apenas em cima do Rio Branco. Mas e a Federação, que não confere documento nenhum, não vai ser punida? E a outra federação que transferiu o jogador? A federação é um cartório. Se não confere documento nenhum, então qual a razão de sua existência?”, questionou.