Paraná Online

O julgamento do Rio Branco em segunda instância no Pleno doTribunal de Justiça Desportiva do Paraná (TJD-PR) foi realizado na noite desta terça-feira e teve notícia ruim para a torcida do Paraná. É porque o Rio Branco acabou absolvido quase que por unanimidade no tribunal e continua sem perder pontos no Campeonato Paranaense e ainda foi absolvido da multa de R$ 27.500 aplicada no primeiro julgamento. Dos nove auditores presentes,seis votaram a favor do Rio Branco e três contra.

No fim, os seis auditores acabaram concordando comos argumentos da defesa do Leão da Estradinha deque não foi culpa apenas do clube, mas sim de outras federações por onde o jogador passou e também culpa da Federação Paranaense de Futebol (FPF). Muitos auditores inclusive julgaram não haver provas suficientes para que o Rio Branco assumisse sozinho a culpa pelo erro na inscrição do jogador Adriano de Oliveira Santos (veja abaixo).

O advogado do Paraná, dr. Itamar Cortês, esteve presente no TJD-PR (assim como alguns membros da diretoria paranista)e já adiantou que o Tricolor vai recorrer dessa decisão, assim como a procuradoria do tribunal também deve fazer. Dessa forma, pode-se afirmar que a decisão de hoje não é definitiva, já que o caso certamentevai passar pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), no Rio de Janeiro, onde sai a decisão final.

Algumas polêmicas marcaram o julgamento, que durou cercadetrês horas. O recurso do dr. Domingos Moro, advogado do Rio Branco, pedindo que o Paraná não entrasse como terceiro interessado do caso foi negado pelos auditores. No entanto, quando o dr. Itamar Cortês, advogado do Paraná, quis se manifestar justamente por ser terceiro interessado, os auditores optaram por realizar uma votação para saber se Cortês poderia falar ou não. Por 6 votos a 3, foi decidido que o Tricolor não seria mais terceiro interessado do caso, e dessa forma, não poderia se manifestar. O advogado disse que também vai recorrer dessa decisão de não incluir o Paraná no caso.

Entenda o caso

A confusão toda aconteceu devido a um erro na regularização do atleta Adriano de Oliveira Santos, que acabou registrado na CBF como Adriano Oliveira dos Santos. O atleta foi escaladoem seis partidas do Rio Branco antes do erro ser detectado. Por isso, o clube foi enquadrado no artigo 214 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva (escalação de atleta de forma irregular), com pena máxima de perder3 pontos por cada uma das partidas em que o atleta foi convocado, além dos 4 pontos que a equipe conquistou nos dois jogos em que Adriano de fatoentrou em campo(uma vitória e um empate).