Se a história do clássico colocou um ponto final na invencibilidade do Paraná, o técnico Ricardo Pinto segue tranquilo e promete dar sequência aos trabalhos que vem dando certo no Tricolor. O técnico lamentou o resultado e mostrou que não se importa com as críticas à escalação do time que enfrentou o Coxa no último domingo. “Se eu tivesse entrado com Léo e perdido de quatro, cinco, iam me chamar de louco porque não respeitei o Coritba. Da forma que eu entrasse ganhando eu seria gênio. Naõ deu certo, porque jogamos contra um grande equipe”, afirmou o treinador.

O técnico, que antes evitava falar na necessidade de novos reforços para não abalar a autoestima dos atletas, agora admite que as contratações serão indispensáveis para uma boa campanha na Série B. “Nós precisamos reforçar, qualquer time reforça, por que nós não vamos reforçar? Estamos abertos a qualquer bom jogador que tenha vontade e que o clube tenha condições de trazê-lo. Com certeza, há necessidade para o Brasileirão”, destacou.

Alguns nomes já conhecidos já foram procurados pela diretoria paranista, como conta Pinto: “Na verdade não há por que esconder que foi procurado Petkovic, Athírson, mas eles pararam de jogar futebol. Pela grandeza do Paraná tem que pensar em nível nacional, Seleção Brasileira”, ousa. “Temos que pensar grande para conquistar coisas grandes”, finalizou.