Na quarta-feira, o Paraná segue para o Rio de Janeiro e leva na bagagem a vontade de reverter o resultado do Botafogo no jogo de ida, vencido pelo time carioca por 2 a 1, na Vila. Para o técnico Ricardo Pinto, o histórico do Tricolor diante do time carioca – cinco partidas com uma vitória para cada lado e três empates – pode ajudar o time a conquistar o resultado e sair com a vaga para as oitavas, no Engenhão.

O treinador não abre mão do discurso de que o final ainda não chegou. Para ele, quando a bola rolar, a postura do time em campo será decisiva. Eu acho que, no futebol, se já tivesse decidido, não precisaríamos ir pro Rio. Se há uma possibilidade, vamos atrás dela”, garantiu o treinador, que ressaltou a importância do desempenho na partida para a sequência do Paranaense, que promete ser de muitos desafios para o time da Vila.

Sobre as dificuldades, Ricardo Pinto é enfático: aposta na imprevisibilidade do futebol e na força da equipe. “Pode parecer utopia, mas eu acho que o futebol permite isso. O paraná tem histórico bom lá contra os grandes do Rio de Janeiro. Como time grande a gente pensa em vencer, pra continuar crescendo”, disse o treinador, que promove uma única alteração na equipe que enfrenta o Alvinegro.

O uruguaio Javier Mendez foi o escolhido para substituir Luiz Camargo, expulso na partida de ida. O volante fará a proteção da zaga, pelo lado direito, junto com Serginho, titular na partida. O técnico segue apostando na formação com três atacantes. A tendência é de que o grupo que entre em campo na quarta seja composto por: Thiago Rodrigues, Paulo Henrique, Luciano Castán, Rodrigo Defendi, Lima; Javier Mendez, Serginho, Douglas Packer; Diego, Kelvin e Léo.