Criada há três anos, a Escola de Árbitros Victor Marcassa forma mais uma turma nesta sexta-feira (09), no restaurante Dom Antônio, em Santa Felicidade.
São 37 jovens, com idade média de 20 anos, se formando na 4ª turma da Escola de Árbitros da Federação Paranaense de Futebol (FPF). Ao todo, 178 alunos em Curitiba e em Cascavel já completaram os cursos e estão trilhando seus caminhos dentro da arbitragem paranaense.
A colação de grau deste ano terá como paraninfo o experiente auxiliar da FIFA e professor do curso de arbitragem, Roberto Braatz, além do ex-árbitro e atual delegado da FPF, Nilton Ramon, como nome de turma e homenageado da noite.
Além disso, o evento contará com a presença de outras autoridades do esporte: presidente da FPF, Helio Cury; prefeito eleito de Curitiba, Gustavo Fruet, paraninfo da primeira turma da Escola de Árbitros Victor Marcassa; Secretário de Esportes do Governo do Paraná e Árbitro FIFA, Evandro Rogério Roman; presidente da Comissão de Árbitros da CBF, Aristeu Leonardo Tavares; presidente da Comissão de Árbitros da FPF, Afonso Vitor de Oliveira.
Para graduar-se como árbitro profissional na Escola Victor Marcassa, é preciso estar cursando uma faculdade e passar por uma verdadeira maratona de aulas (aproximadamente seis meses), que inclui estágio supervisionado na Copa Kaiser e disciplinas como: Regras do Jogo, Árbitro Assistente, Preparação Física e Mecânicas e Técnicas de Arbitragem, todas ministradas por profissionais renomados do mercado.
“Considero que estamos fazendo uma boa renovação no quadro de arbitragem da FPF, algo que não havia antes de 2009. Foram quatro anos sem escola de arbitragem. Pegamos um quadro envelhecido, e com essas quatro turmas, a nossa missão está bem cumprida”, afirmou o coordenador do curso e diretor da
Escola de Árbitros Victor Marcassa, João Candido Hartmann.
O objetivo da Escola de Árbitros Victor Marcassa é justamente de renovar o quadro de arbitragem do Paraná, trazendo juventude e novos conceitos para uma das mais importantes áreas do futebol.