Valquir Aureliano

Renato Gaúcho completou sete jogos diante do Atlético nesta 15ª rodada de Campeonato Brasileiro. Desde que assumiu, o treinador trouxe novos números ao Furacão, que andava sofrido em campo. Foram três vitórias, dois empates e duas derrotas de virada, contra Vasco e Ceará, totalizando um aproveitamento de 52,38% desde que o comando técnico mudou.

“O resultado foi justo. As duas equipes buscaram a vitória e a gente não estava enfrentando qualquer equipe e sim quem busca o título brasileiro”, avaliou Renato Gaúcho. O técnico novamente substituiu Morro García e insistiu que o time não pode depender só do uruguaio para arrematar a gol.”A gente precisa de pelo menos mais um jogador de área, não podemos ficar só com o García. Tenho falado com o Ibiapina e com o presidente. A gente precisa segurar a bola na frente pra que defesa possa respirar e isso não estava acontecendo”, explicou, justificando as substituições que fez durante o jogo.

Para o técnico, o espírito de luta do time ficou ainda mais evidente nos últimos três confrontos do Furacão. Contra o Santos, atual Campeão da América, o time venceu de maneira heroica na Arena; diante do Atlético-GO, rival direto na luta contra o rebaixamento, nova vitória, dessa vez por 3 a 0; e neste domingo, contra o até então líder do campeonato, um empate digno de comemoração, segundo a análise do técnico.

“A tabela do Atlético é um pouco ingrata. Nos últimos três jogos fizemos sete pontos. Está excelente, excepcional, não tenho do que me queixar. Não tem jogo fácil e eu estou muito satisfeito com o meu grupo”, comemorou o técnico que não terá Cleber Santana e Kléberson para o jogo contra o São Paulo, na próxima rodada.