Por João Pedro Alves

O reinado de Renan Barão e José Aldo no UFC (Ultimate Fighting Championship) foi prorrogado por mais um tempo na madrugada deste domingo (2). Os “cascas grossa” e  parceiros de treino na academia Nova União entraram em ação no UFC 169, realizado em Newark, nos Estados Unidos, e bateram os americanos Urijah Faber e Ricardo Lamas, respectivamente, para manterem os dois únicos cinturões no Brasil.

Além dos campeões dos pesos galo e pena da franquia, outros dois brasileiros subiram ao octógono. No card principal, o paranaense John Lineker, natural de Paranaguá, foi derrotado pelo russo Ali Bagautinov e se distanciou da disputa do título do peso mosca. Nas preliminares, Alan Patrick “Nuguette” venceu o canadense John Makdessi.

Renan segue como o “barão” dos galos

Barão nocauteou, arriscou uma dancinha e foi comemorar com seu córner (Foto: Divulgação/UFC)

Em sua primeira defesa do cinturão definitivo do peso galo, o capixaba Renan Barão mostrou o porquê de ser o número 1 da categoria. Mesmo enfrentando um adversário duro como Urijah Faber, o pupilo de Jair Lourenço e Dedé Pederneiras impôs um ritmo acelerado e levou a melhor na trocação. Tanto que mandou o californiano à lona duas vezes antes de encaixar uma sequência de socos no solo e o árbitro Herb Dean paralisar o combate – de forma precoce, mas que não tirou o brilho da vitória.

Barão manteve o cinturão afivelado e ainda aumentou sua sequência invicta para 33 lutas (32 vitórias e um “No Contest”, combate sem resultado), a maior do MMA mundial – a primeira e única derrota na carreira foi em 2005, na estreia como profissional.

Aldo segue absoluto entre os penas

Uma pergunta novamente veio à tona após o UFC 169: quem poderá parar José Aldo? O americano Ricardo Lamas tentou ser a resposta, mas falhou assim como os outros 23 atletas que se arriscaram nessa missão. Como resultado, o manauara chegou à sexta defesa bem sucedida do cinturão peso pena da franquia.

Apesar de absoluto na categoria e ter dominado Lamas, Aldo só teve o braço levantado pelo árbitro ao final dos cinco round previstos para a luta. Nesses 25 minutos de ação, o atleta da Nova União construiu a vitória conectando bons chutes e socos, e evitando o jogo de quedas do gringo. O maior sufoco aconteceu no último assalto, quando teve que aguentar o ground n pound (golpes no solo) do adversário.

Sem oponentes à altura nos penas, José Aldo irá subir de categoria e lutar entre os leves. Mais precisamente contra o campeão Anthony Pettis. O combate foi confirmado logo após a vitória do brasileiro, mas a data e o local da superluta ainda não estão fechados.

UFC 169
1º de fevereiro de 2014, sábado

Prudential Center, em Newark, nos Estados Unidos

CARD PRINCIPAL
Renan Barão derrotou Urijah Faber por nocaute técnico no primeiro round.
José Aldo derrotou Ricardo Lamas por decisão unânime dos juízes
Alistair Overeem derrotou Frank Mir por decisão unânime dos juízes
Ali Bagautinov derrotou John Lineker por decisão unânime dos juízes
Abel Trujillo nocauteou Jamie Varner no segundo round

CARD PRELIMINAR
Alan Nuguette derrotou John Makdessi por decisão unânime dos juízes
Chris Cariaso derrotou Danny Martinez por decisão unânime dos juízes
Nick Catone derrotou Tom Watson por decisão dividida dos juízes
Al Iaquinta derrotou Kevin Lee por decisão unânime dos juízes
Clint Hester derrotou Andy Enz por decisão unânime dos juízes
Rashid Magomedov derrotou Tony Martin por decisão unânime dos juízes
Neil Magny derrotou Gasan Umalatov por decisão unânime dos juízes