O técnico Marcelo Oliveira e o meia Rafinha foram julgados hoje à noite pelo Tribunal de Justiça Desportiva do Paraná (TJD-PR) pelas expulsões no jogo contra o Arapongas. O treinador foi denunciado por ter xingado a arbitragem da partida, enquanto Rafinha foi enquadrado no artigo 254-a do Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD) por ter dado um soco em um atleta adversário.

Quase que por unanimidade (apenas um auditor pediu punição de um jogo para o treinador), Marcelo Oliveira foi absolvido pelo TJD, até porque esta foi a primeira vez em toda sua carreira que ele foi julgado em um tribunal de justiça desportiva. Já Rafinha não teve a mesma sorte: Por unanimidade, o atleta pegou a pena mínima do artigo 254-a (agressão física, que prevê de quatro a doze jogos de punição) e pegou quatro partidas de suspensão.

Como já cumpriu a suspensão automática no jogo seguinte em que levou o cartão vermelho, Rafinha tem mais três partidas para desfalcar o Coritiba. No entanto, o advogado do clube, Itamar Cortês, vai entrar com recurso no tribunal para tentar reverter a pena do jogador.