Redação com Portal Terra

Bem antes do destaque recente conquistado por Walter, uma “versão paraguaia” já era idolatrada por seus gols decisivos mesmo com alguns quilos acima do peso ideal. Quem não se lembra de Salvador Cabañas, o atacante “gordinho” que vestia as camisas do América do México e da Seleção Paraguaia? Pois é, os tempos de glória dentro de campo ficaram no passado e a realidade atual do paraguaio é bem diferente.

Cabañas trabalha na padaria em Itaguá, no Paraguai (Foto: Reprodução/AFP)

A mudança drástica aconteceu há quatro anos, no dia 25 de janeiro de 2010. Cabañas vinha de duas artilharias na Copa Libertadores e estava a seis meses da disputa da Copa do Mundo da Africa do Sul, o momento profissional estava impecável e um contrato milionário para ir para a Europa estava em suas mãos. Mas um tiro na cabeça que recebeu em uma casa noturna na Cidade do México, que o deixou 23 dias na UTI, encerrou sua carreira como jogador de alto nível.

A fatalidade virou a vida do carismático paraguaio completamente e hoje ele ajuda os pais na padaria da família para sobreviver. Ao invés de acordar pela manhã para ir treinar, como fazia, agora Cabañas levanta às 4h para começar a distribuir pão em uma caminhonete para os clientes de seu pai, Dionisio, e sua mãe, Basilia.

O motivo da queda financeira, aponta o jogador, foi a separação de sua mulher, María Lorgia Alonso, que se apoderou de seus bens durante seu período de convalescênça. Sua luxuosa mansão em Assunção, avaliada em US$ 5 milhões (R$ 11,9 milhões), por exemplo, está sob a posse da ex-senhora Cabañas, que cuida dos dois filhos do casal.

“À medida que o tempo passa, vou percebendo muitas coisas”, disse Cabañas à AFP, referindo-se a supostas manobras de seu ex-representante José González e de sua ex-mulher. “Ela já acabou com tudo. Até o advogado se vendeu a eles”, lamentou.

Apesar de todas as adversidades, ele não consegue se desvincilhar do futebol. Quando não está na padaria ou fazendo entregas, Cabañas atua pelo clube onde foi formado, o 12 de Octubre de Itaguá, que está de volta à elite do futebol paraguaio. “Vou seguir adiante”, concluiu o artilheiro