Declarações do técnico Adílson Batista deram margem às especulações de que o grupo atleticano estaria dividido, principalmente com toda a sensação que a chegada de Santiago García causou. Essa hipótese, porém, foi completamente descartada pelo diretor de futebol do clube, Alfredo Ibiapina, que participou do Balanço Esportivo desta quinta-feira (23). O homem-forte do departamento de futebol deu total respaldo ao trabalho de Batista e foi categórico ao atribuir a má fase a uma possível falta de sorte coletiva.

“O grupo do Atlético é uma família e quando as coisas não acontecem, todo mundo sente. Precisamos de mais tranquilidade com uma vitória”, afirmou Ibiapina, que conversou com os jogadores e descartou a possibildidade de racha na equipe. “Não existem problemas entre jogadores, ou com a comissão técnica, não tem nada. Infelizmente o momento não é bom”, justificou. Para Ibiapina, os atletas do elenco estão recuperando a confiança perdida e, pouco a pouco, a tranquilidade deve voltar a reinar sobre o Furacão.

Apoio das arquibancadas

Greyson Assunção/Banda B
Dirigente diz que protesto no CT foi positivo para o clube

E para a recuperação do time, Ibiapina espera o apoio do 12º jogador. Para ele, a torcida deve voltar a fazer o que caracterizou a Arena como o famoso Caldeirão. “Precisamos fazer a Arena voltar a ser o que era antes, um estádio que intimidava os adversários, onde o Atlético vencia quase sempre”, pediu, confiante que a primeira vitória no Brasileirão será cravada neste sábado, diante do Bahia.

O protesto protagonizado pela torcida nesta semana foi classificada pelo diretor de futebol como positiva. Ibiapina conta que a conversa entre torcedores e comissão técnica fluiu de forma tranquila e que nenhum tipo de violência seria admitida dentro do Centro de Treinamentos. “Os torcedores só pediram mais empenho, os jogadores reconheceram que o time não tava bem e a conversa foi bem tranquila”, contou, ao pedir, novamente, o apoio de toda a torcida para o próximo desafio.