Diante dos atrasos para as obras de infraestrutura para o Mundial que será sediado no Brasil, o secretário estadual para os Assuntos da Copa do Mundo de 2014, Mário Celso Cunha, acenou com a possibilidade de Curitiba não conseguir receber o maior evento esportivo do futebol. O deputado deu a declaração durante a sua participação n primeira das dez audiências públicas sobre a organização da competição realizada na noite da última terça-feira (26), no Pinheirinho.

“Antes eu não acreditava, mas o risco de não ter Copa aqui é real. Por isso o meu trabalho é dobrado”, afirmou o deputado que reclamou das dificuldades que vem enfrentando nos diálogos. “A única opção é a Arena, se não for na Arena, não tem Copa. Pinheirão e Couto Pereira estão fora de questão”, disse Cunha.

O estádio do Rubro-negro é o único que atende às exigências da Fifa, mas um grande problema também estaria no aumento causado pelas novas regras que a instituição máxima do futebol impôs aos estádios que irão receber os jogos da Copa. O orçamento que antes era avaliado em R$ 135 milhões passou a custar R$ 175 milhões e a diretoria do clube já deu indícios de que não deve arcar com essa diferença. Nenhum dirigente esteve presente na reunião da última segunda (25) para definir a fonte dos investimentos.

O vereador e torcedor do Atlético Paranaense, Julião Sobota, também criticou a postura da diretoria atleticana, afirmando que a Copa parece não ter importância para o clube. “Para ter Copa precisamos de estádio. Se o Atlético está fazendo frescura, que seja no Pinheirão ou no Couto Pereira”, disse o vereador.