Ouça o áudio

O Atlético vive uma fase conturbada dentro de campo (ainda não venceu em seis rodadas do Campeonato Brasileiro e está sem treinador) e também nos bastidores do clube. Em entrevista coletiva realizada nesta terça-feira, o ex-presidente Mário Celso Petraglia, se lançou candidato à presidência do clube nas eleições que serão realizadas em dezembro deste ano.

À prinícipio, o empresário convocou a coletiva de imprensa para falar de suas ideias para a conclusão da Arena da Baixada e a Copa do Mundo de 2014 no Brasil. Somente quando abriu a entrevista para perguntas de jornalistas é que Petraglia foi questionado se seria candidato em dezembro. Em sua primeira resposta, ele disse que não tinha a ideia de voltar ao clube, mas devido à atual situação do Atlético, essa ideia voltou em sua cabeça.

“Não sei ainda se serei candidato. Eu afirmava que não, mas estou em dúvida.Se eu for candidato vou bater chapa com quem quer que seja.Uma soma de coisas me fazem repensar em ser candidato”, disse. Mas passadas mais algumas perguntas dos jornalistas e mais críticas de Petraglia à administração de Marcos Malucelli, eis que o ex-presidente surpreende e afirma: “Eu sou um cara emocional. Acabo de decidir que vou ser candidato”, e assim finalizou a coletiva.

Carreira no Atlético

Petraglia assumiu o comando do Furacão em 1995, época em que o clube estava bastante endividado e disputava pelo segundo ano consecutivo a Série B do Campeonato Brasileiro. Com um estilo de administrar moderno e avançado para a época, Petraglia fez o Atlético ser campeão da Série B já em 1995, nunca mais tendo retornado para a segunda divisão do futebol brasileiro, além de ter quitado boa parte das dívidas do clube ao longo de sua passagem pelo rubro-negro.

As principais conquistas do Furacão foram enquanto Petraglia era o homem forte do clube: Seletiva da Libertadores em 1999; Campeonato Brasileiro em 2001; vice-campeonato brasileiro em 2004; e vice-campeonato da Libertadores em 2005. O dirigente foi responsável também pela construção do CT do Caju e da Arena da Baixada, reconhecidos nacionalmente como o melhor centro de treinamento e o mais moderno estádio do Brasil.

Os últimos anos de sua gestão à frente do clube foram conturbados e ele já não era mais unanimidade entre a torcida: De 2006 a 2008, o Atlético não conquistou títulos e apenas lutou para não ser rebaixado no Campeonato Brasileiro. No fim de 2008, Petraglia apoiou Marcos Malucelli nas eleições daquele ano, candidato que acabou sendo eleito. Mas logo no início de 2009, os dois acabaram se desentendendo, e pela primeira vez em 14 anos, Petraglia deixou a diretoria do Furacão e passou a fazer oposição à gestão de Marcos Malucelli.

Com a proximidade das eleições de 2011, muitos torcedores passaram a especular uma possível candidatura de Petraglia, fato que o próprio empresário confirmou em entrevista coletiva que ele mesmo convocou na tarde desta terça-feira. Malucelli já afirmou diversas vezes que não será candidato à reeleição, resta apenas saber quem será o escolhido da situação para disputar a eleição com Mário Celso Petraglia no fim deste ano.