Com nove assistências na temporada 2011, o meia Paulo Baier foi novamente decisivo no jogo deste domingo, contra o Cianorte. Foi dele o cruzamento para o gol de Guerrón, que selou a vitória atleticana pelo placar de 1 a 0, na estreia do técnico Adilson Batista. Na saída de campo, o maestro rubro-negro elogiou a atuação do Furacão no estádio Albino Turbay.

“Nossa equipe fez uma grande partida, principalmente no primeiro tempo quando tocamos bem a bola. Estamos de parabéns, vencemos um adversário difícil fora de casa. Lógico que é bom começar vencendo com um treinador novo, isso dá confiança pra gente e pra ele também”, disse o jogador.

Para o meia, a semana inteira de trabalho foi importante para que o novo treinador pudesse ajeitar a equipe atleticana: “Acho que foi graças à semana cheia que tivemos para trabalhar. Os outros treinadores chegaram em véspera de jogos e o Adilson pode trabalhar a semana inteira com a gente. Acertamos um posicionamento e deu certo isso. No segundo tempo o Cianorte veio pra cima, mas a gente evoluiu bastante hoje”.

Apesar de destacar que a equipe evoluiu no toque de bola, Paulo Baier admitiu que ainda há muito o que melhorar daqui pra frente. “Sempre tem o que melhorar, mesmo que você faça a melhor apresentação do mundo. Hoje começamos um novo início com um novo treinador, e vencer fora de casa é importante, até porque quarta-feira já temos jogo importante pela Copa do Brasil”, explicou o capitão atleticano.

A partir de hoje, o Atlético vai viver uma maratona de três jogos importantes quase que em seguida. Na quarta-feira, enfrenta o Bahia em Salvador, pela Copa do Brasil; depois recebe o Paranavaí no sábado, na Arena da Baixada; e aí na quarta-feira seguinte joga de novo contra o Bahia, mas dessa vez em casa, no jogo de volta da Copa do Brasil.

Vivendo um ritmo intenso de jogos, Paulo Baier não descarta ser poupado do jogo contra o Paranavaí, já que o Atlético tem poucas chances de ser campeão paranaense. “É, isso aí é questão de conversar. Eu venho numa sequência de 19 jogos em três meses, se eu não me engano sou o segundo que mais jogou do grupo, mas eu to feliz. Eu quero sempre jogar, mas às vezes você tem que dar uma segurada até mesmo por lesão. Esperamos voltar sa Bahia com uma vitória e depois vamos ver se eu jogo ou não no sábado”, finalizou.