Na tabela, Paraná e Ponte Preta são rigorosamente iguais. Empatados em número de pontos, vitórias, empates e derrotas, os dois times dividem a vice-liderança do Campeonato Brasileiro da Série B e, nesta terça-feira (26), fazem um dos grandes confrontos da 13ª rodada da Segundona. Os 23 pontos das duas equipes são divididas em sete vitórias, dois empates e três derrotas, mas o fator que distingue o Tricolor e a Macaca é o desempenho, dentro e fora de casa: enquanto o Paraná venceu quatro na Vila Capanema e três fora, o time de Campinas foi vencedor em cinco jogos nos seus domínios e em apenas dois longe da torcida.

Valquir Aureliano
Fator casa impulsiona, mas não deve iludir, confirma Fonseca

Se considerados os locais de jogo, o Tricolor tem outra vantagem. Como ainda não perdeu em casa na Série B, receber a Ponte Preta na Vila Capanema e com o apoio irrestrito do torcedor pode fazer toda a diferença no placar. A moral como visitante também impulsiona os comandados de Roberto Fonseca, que acabaram com a invencibilidade de 14 meses do Criciúma, última vítima paranista. “Nós temos conquistado mais de um ponto por jogo fora de casa, sob o meu comando. Tá excelente. Quem for jogar contra nós, vai ter que trabalhar pra nos bater”, avisa o treinador.

Para o jogo, o técnico optou por não contar com o zagueiro Amarildo e o meia Wellington, ambos ainda em recuperação. No setor de retornos, o Tricolor poderá ter a volta do volante Serginho, suspenso na última rodada. “Nós não podemos ter nenhum jogador no sacrifício. Nós temos um grupo homogêneo e tenho certeza que todos esses atletas tem nos dado retorno”, afirma Fonseca, que nos treinamentos de hoje escalou o lateral Brinner para o lugar de Lisa, lesionado e dúvida parao jogo desta tera-feira.

O treinador não confirma, mas aponta que pelo menos 90% do time que entrou em campo no Heriberto Hülse deve ser repetida. Invicto na Vila, o Paraná Clube tem um dos desafios mais importantes até agora, na Segundona, como explica Fonseca. “Não podemos jogar fora o que conquistamos fora de casa, mas fazer um trabalho consistente, com casa cheia, torcedor do nosso lado. É uma outra decisão. Talvez, até aqui, seja a maior decisão”, finaliza o treinador.

A possível escalação do Tricolor deverá ter: Zé Carlos; Brinner, Luciano Castán, Cris e Lima; Júnior Urso, Serginho, Cambará e Roni Dias; Jefferson Maranhão e Giancarlo.