A partida que começou com a expulsão de um jogador da Lusa tinha tudo para ser um primeiro encontro de gala com a torcida na Vila Capanema, mas o Paraná cedeu espaços, perdeu um jogador, também expulso, e cedeu o empate em 1 a 1 na estreia em casa contra a Portuguesa. O empate tirou do Tricolor a chance de assumir a liderança isolada do Brasileirão da Série B nessa rodada. Com ingressos “promocionais” – a preço de meia entrada, mas com um reajuste bastante significativo – a Vila Capanema recebeu 4995 pagantes, que vão ver o time pegar o Americana no próximo dia 4, fora de casa.

Time organizado e bola na rede

O Paraná Clube teve um início de sorte na sua estréia diante da torcida tricolor. Logo aos 3 minutos de jogo Jael, que havia sido absolvido pelo STJD e pôde disputar a partida, perdeu a cabeça, agrediu o atacante Léo e foi expulso de campo, abrindo caminho para a vitória do time da Vila Capanema. Os efeitos da expulsão não demoraram muito aparecer: aos 7, Léo aproveitou o cruzamento na área e a tentativa de Léo para abrir o placar e colocar o Tricolor em vantagem.

Paraná Clube/Divulgação
Ricardo Pinto foi chamado de “burro” pela torcida ao queimar substituição de Diego

Aos gritos da torcida, que compareceu em bom número, o time comandado por Ricardo Pinto soube jogar na desvantagem numérica da Lusa e partiu pro ataque com Henrique e Wellington. No fim do primeiro tempo, porém, foi a defesa que deu bandeira e o time paulista cresceu no jogo, estando muito próximo de igualar os números. A bronca do goleiro Zé Carlos depois de fazer uma bela defesa serviu como tentativa de acordar a zaga desatenta do Tricolor.

Igualdade em campo e no placar

O que estava bom deu indícios de mudança no segundo tempo. Thiago Santos, que já tinha tomado cartão amarelo na etapa inicial, fez uma dura falta em Henrique e foi expulso de campo., acabando com a vantagem numérica do Tricolor. A Portuguesa sentiu o bom momento e assumiu as ações da partida, atacando e levando perigo à meta paranista. Ficou fácil chegar e Lusa se aproveitou dos espaços para empatar o jogo, aos 27, com Henrique, que passou por toda a defesa tricolor pra mandar no ângulo e marcar um belo gol.

Dar arquibancadas vinha o pedido da torcida por Giancarlo, já que o ataque não estava tão afiado quanto deveria e perdeu grandes oportunidades de gol. Aos 40, Douglas Packer mandou um chute firme, mas foi parado pela defesa de Weverton. Pouco antes do apito final, a opção do técnico Ricardo Pinto em queimar a substituição de Diego para a entrada de Maycon Freitas foi questionada pela torcida, que vaiou o treinador.