Durante o julgamento do Rio Branco, em segunda instância no Pleno do Tribunal de Justiça Desportiva do Paraná (TJD-PR), realizado na noite desta terça-feira (03), o Paraná Clube acabou impedido de falar.

Mesmo sendo o terceiro interessado na causa, os auditores decidiram realizar uma votação para saber se o advogado Itamar Cortês poderia falar. Com 6 votos a 3, o Clube não pôde se manifestar no julgamento, sendo excluído do processo.

Assim, o departamento jurídico do Tricolor vai recorrer da decisão, levando o caso para o Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), no Rio de Janeiro.