Ouça o áudio

Falta de ousadia e vontade de vencer. Essas foram as justificativas de Ricardo Pinto para a primeira derrota sofrida pelo Paraná Clube na Série B do Brasileirão. Em Americana, o time tricolor pouco criou e quase não levou perigo à meta do time paulista que, embora também não estivesse jogando bem, soube se aproveitar do cansaço paranista para marcar o gol e vencer a primeira na Segundona. (Ouça a entrevista completa no ícone acima)

“Seria um resultado normal. O problema é a expectativa que a gente cria em torno de um bom desempenho. O grupo não se apresentou da forma como a gente queria”, disse o técnico, após a partida que analisou como “morna” e “comum”. “Nós criamos duas situações no primeiro tempo e só. Temos que pensar na pouca produção, tivemos pouca posse de bola. O time teve que correr atrás do adversário, isso cansa”, analisou o treinador.

Mesmo com a derrota, o resultado mais lamentado por Ricardo Pinto foi o empate com Lusa, na Vila, pela segunda rodada do campeonato. Para o treinador, o time perdeu pontos importantes, mas jogou bem e foi criativo na meia cancha. “Hoje fomos envolvidos. O resultado do jogo é preocupante, sim, mas a pouca produção e a falta de ousadia é o que preocupa de verdade”, confirmou.

A falta de entrosamento e conhecimento mútuo entre os atletas é outro ponto destacado pelo técnico paranista, que já está com as atenções voltadas para o próximo desafio: o Salgueiro, em casa, na próxima sexta-feira. “Não há como ficar pensando no passado, temos que chegar aos sete pontos em casa pra poder pensar em liderança e em permanecer no G4. A preocupação é pra fazer o time jogar e não só ganhar”, apontou Ricardo Pinto.