No último domingo, o Monumental de Nuñez, estádio do rebaixado River Plate, recebeu um dos piores confrontos da história do futebol argentino. Após o empate em 1 a 1 com o Belgrano, de Córdoba, no jogo de volta, o time portenho foi condenado a disputar a Segunda Divisão argentina pela primeira vez em seus 110 anos de história. Mesmo parcialmente destruído, o estádio se mantém como sede da grande final da Copa América que começa no próximo dia 1º, na Argentina.

Reuters
Buenos Aires ficou devastada após a confirmação do rebaixamento

O presidente do Comitê Organizador da Copa América, José Luis Meiszner, afirmou que, mesmo depredado, ainda há muito tempo para a reforma e adequação do Monumental e não há motivos para quea finalíssima da competição sul-americana não seja realizada na casa do River.

Punição

A confusão generalizada causada pelos torcedores inconformados com o descenso do clube combinada aos atos de vandalismo, até antes do apito final, deixaram um saldo de mais de 60 pessoas feridas e 25 presas. Nesta segunda-feira, o chefe de gabinete da Associação do Futebol Argentino (AFA) Aníbal Fernéndez garantiu que os Milionários deverão amargar uma pesada punição pelos episódios de violência.

Em 2007, o país vizinho presenciou um caso semelhante na partida entre Nueva Chicago e Tigre. Rebaixado o Nueva Chicago amargou um saldo negativo de menos 20 pontos já na arrancada da Segundona argentina.