O meia Oscar foi recebido com grande festa pelos torcedores chineses no Aeroporto de Pudong, em Xangai, nesta segunda-feira, e ganhou vários presentes dos fãs. O brasileiro deixou o Chelsea, da Inglaterra, e vai defender o Shanghai SIPG na próxima temporada. O valor da transação não foi revelado, mas as informações da imprensa europeia são de que o clube asiático vai desembolsar 60 milhões de euros(aproximadamente R$ 206 milhões)

Para atuar ao lado dos compatriotas Hulk e Elkeson no Campeonato Chinês, Oscar vai receber 400 mil libras (R$ 1,6 milhão) por semana, segundo a imprensa britânica. Em sua nova equipe, o meia também vai reencontrar o treinador português André Villas-Boas, que o comandou no Chelsea.

O diretor-geral do Shanghai SIPG, Sui Guoyang, disse à Sky Sports da Inglaterra na última semana que Oscar estava infeliz com a falta de espaço na equipe dirigida pelo técnico italiano Antonio Conte, que lidera o Campeonato Inglês.

“O Oscar estava em desvantagem com o Conte porque ele não tem lugar no Chelsea com a formação 3-4-3”, disse o dirigente. “Ele se sentiu terrível por ficar no banco e não ser envolvido nos jogos. Ele é tão jovem. Oscar quer voltar para a seleção brasileira, alguns dos compatriotas dele jogam na China e ainda assim são chamados para a seleção. Isso o ajudou a tomar a decisão de vir para China.”

Quem comemorou bastante a transferência foi o São Paulo, que deve ficar com estimados quase R$ 5 milhões do negócio por ser o clube formador do atleta. A Fifa estipula que parte da transferência de um jogador tem de ir para os clubes que formaram o atleta na base. Assim, o São Paulo calcula que deve receber 2,35% por ter ficado com Oscar dos 13 aos 19 anos. O Internacional também vai receber outra fatia da negociação, porém menor.