Do caos ao topo. O título do livro escrito pelo ex-técnico do Coritiba, René Simões, pouco depois que o Coxa conquistou o seu acesso à Série A do Campeonato Brasileiro em 2007, resume bem a fase do Alviverde nos últimos anos. Entre altos e baixos, o time do Alto da Glória vive, hoje, uma das melhores fases de sua história.

Site Oficial do Coritiba
Conquista do Bicampeonato Estadual aconteceu na Arena

Depois de jogar afastado de sua torcida por dez partidas, em cumprimento à maior punição da história do furebol brasileiro, o time retomou o caminho das vitórias e, em 2011, só tem trazido alegrias ao torcedor. A conquista do Campeonato Paranaense, de forma invicta, em plena Arena da Baixada, coroa o trinfo da organização pós-crise.

Tempo de comemorar

Para o técnico Marcelo Oliveira, o momento é de comemorações. Sempre cauteloso, o treinador rasgou elogios à diretoria do clube, à força dos jogadores e ao apoio da torcida. “O mais importante foi a superação e humildade dos atletas em não deixar que a coisa se acomodasse. Esses atletas que abdicaram da vaidade pessoal em nome do coletivo são merecedores”, destacou o treinador, que participou da montagem do time desde dezembro do ano passado.

O técnico, questionado no início dos trabalhos no comando alviverde, hoje chama a atenção pela tranquilidade que passa. Sempre comedido, Oliveira evitava falar em título, ainda que as atuações do time convencessem pela qualidade. “É muita emoção. Recompensado e gratificado o esforço feito”, disse. “É a primeira vez que eu trabalho em um clube organizado, que dá todo o suporte. Trabalhei no Atlético-MG e sempre tive muitas dificuldades. Esse é o meu primeiro grande título”, enfatizou.

Recordes

Se antes o número expressivo de vitórias consecutivas do time coxa-branca não era abordado como prioridade, hoje é um dos fatores que mais impulsiona o grupo a conquistar os resultados. Para o comandante, as estatísticas são significativas e não podem ser ignoradas. “Foi significativo. Não é fácil ganhar dez partidas consecutivas no segundo turno, amas fomos coroados hoje, na casa do Atlético”, afirmou, destacando a importância para a história do clube e para a torcida.

“O futebol é marcado por conquistas. A invencilibdade não era nosso alvo maior. Então todo o direcionamento foi pra criar um grupo que vestisse com orgulho a camisa do clube”, explicou o treinador, que assegurou que a luta do Verdão, agora, é para quebrar o recorde que hoje pertence ao Palmeiras (21 vitórias consecutivas).