As obras na Arena devem começar em aproximadamente 40 dias, segundo as estimativas do gestor da cidade para o Mundial, Luiz de Carvalho. O consultor acompanhou a visita técnica que os integrantes do Comitê Organizador Local, órgão ligado à FIFA, fizeram ao estádio na manhã desta segunda-feira.

A comissão conta com o gerente de operações de Segurança, Aggeu Bezerra, a arquiteta responsável pelo projeto das instalações temporárias, Bárbara Fernandes, a gerente geral de Transportes, Elaine Felske, o gerente geral de Segurança, Hilário Medeiros e o gerente de Operações do Estádios, Tiago Paes. A comitiva fica dois dias em Curitiba para avaliar a infraestrutura da Arena, questões de segurança, além da mobilidade urbana e a situação dos transportes na cidade.

A Praça Afonso Botelho, que fica em frente à Arena, deve receber estruturas temporárias, destinadas às ações dos patrocinadores da Copa, bem como à recepção e área de atendimento aos torcedores. A comissão também conheceu o projeto de ampliação do estádio (para mais de 40 mil torcedores) e deve sobrevoar toda a cidade, ainda hoje, para entender e visualizar o modo de transporte e as obras de mobilidades previstas para o Mundial.

“Os técnicos estão verificando as saídas emergenciais, de que forma se mobiliza e se locomove mais rapidamente, seja por via rodoviária, de automóvel ou ônibus, seja por via aérea, de helicóptero, para agilizar no transporte de emergência para um centro médico ou até mesmo em uma ação de segurança caso haja algum refém”, disse Carvalho.

O gestor da cidade para assuntos referentes à Copa do Mundo de 2014 acredita que dentro de um mês a empreiteira será escolhida pelo clube e já iniciará os trabalhos, sem atrapalhar a realização das partidas. “O projeto executivo está pronto, os cálculos estão finalizados e nós deveremos fazer esta semana uma reunião para avaliar estes cálculos. Eu imagino que o início das obras aconteça até o final de abril ou começo de maio, quando estiver finalizando o Paranaense”, confirmou.