Um dos únicos estádios da Copa do Mundo de 2014 com obras em andamento, o Maracanã pode ter sua reforma paralisada por um pedido do Ministério Público Federal, protocolado nesta segunda-feira na Justiça Brasileira. De acordo com a ação pública movida pelo MP, as obras devem ser paralisadas imediatamente e a antiga marquise deve ser reconstruída.

O Ministério Público pede ainda uma multa de R$ 500 mil ao dia casoa Empresa de Obras Públicas do Estado (Emop) e o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) continuem demolindo a marquise do estádio, além de outra multa diária de R$ 1 milhão caso a marquise não seja reconstruída exatamente no formato original.

A justificativa do MP para essa ação civil é que o Maracanã foi tombado pelo Iphan em 2000, e por isso, modificações radicais não poderiam ser feitas na estrutura do estádio, o que vem ocorrendo devido às inúmeras exigências do caderno de encargos da FIFA. A Emop disse que ainda não foi notificada sobre a ação civil e oIphan diz que autorizou as obras e discorda da alegação do Ministério Público Federal.

De acordo com a assessoria de imprensa do Iphan,o Maracanã não foi tombado por sua arquitetura, maspor ser palco de uma manifestação cultural brasileira, e isso não impede que reformas radicais sejam feitas na estrutura do estádio. Na visão do instituto, a antiga marquise pode continuar sendo demolida e reformada para o Mundial de 2014, até porque essas mudanças são importantes para que o Maracanã continue sendo utilizado pela população, justificando seu tombamentoetnográfico.