O técnico Marcelo Oliveira comandou na manhã desta sexta-feira o último treino do elenco antes da viagem a Irati. Como a quantidade de partidas tem sido muito grande nas últimas semanas, o treinador confessa que pegou mais leve com os atletas nessa atividade.

“Faríamos um trabalho tático para trazer os substitutos, mas os jogadores estão desgastados fisicamente. Resolvemos não fazer esse trabalho, optamos por descansar”, explica, lembrando também que “assim temos tempo de analisar melhor o adversário para escalar o time”.

Isso porque, além dos desfalques que já tinha na última rodada, agora ele também não poderá contar com Rafinha, suspenso. Por outro lado, ele conta com a volta de Leandro Donizete, que traz mais uma dúvida à sua cabeça. “Temos a opção do Everton, do Tcheco e do Leandro Donizete, na hora do jogo vamos colocar a melhor equipe para buscar mais uma vitória com muita garra”, diz.

Marcelo Oliveira tem a opção de colocar um dos três atletas no lugar do Rafinha, ou poderá escolher entre Everton Ribeiro ou Tcheco e colocar Leandro Donizete no lugar do Willian. Uma grande confusão para o treinador, que tem um grupo qualificado em mãos e não tem espaço para colocar todos os seus talentos em campo.

E é todo esse trabalho em grupo e a qualidade do elenco que tem ajudado o Coritiba a realizar a boa campanha. Mas o técnico coxa-branca sempre lembra os atletas que nada foi conquistado ainda e é preciso jogar com muito empenho neste sábado para dar mais um passo adiante.

“O trabalho intenso é necessário, mas a conversa também é fundamental porque os jogadores estão muito desgastados. Pedimos marcação forte e isso sacrifica muito. A conversa mostra que não estamos contentes com o que temos, porque precisamos fazer o melhor a cada momento para valorizar nosso esforço”, acredita.