Curitiba é a cidade-natal do lateral Adriano que, do Coritiba, alçou voos tão altos que já passou pelo Sevilla e hoje veste a camisa do melhor time do mundo. Convocado por Mano Menezes para a disputa da Copa América, o jogador do Barcelona garante que seu principal objetivo, agora, é se tornar titular na Seleção Brasileira.

Greyson Assunção/Banda B
Jogador participou do Balanço Esportivo desta sexta-feira

Em sua passagem pela capital paranaense durante as férias, Adriano visitou o Couto Pereira e, com antigos companheiros que seguem no time, como o meia Tcheco, reviveu os bons tempos de Verdão. “Eu tenho um carinho especial pelo Coritiba. Sempre que eu estou de férias, eu vou no clube rever os amigos e ver alguns jogos”, disse o jogador, que participou do Balanço Esportivo desta sexta-feira (29).

Com quatro anos de contrato com o Barcelona, o lateral acredita que ainda é cedo para pensar em voltar ao Brasil, mas não descarta a possibilidade de retornar ao Coritiba, clube que o revelou. “Eu como torcedor do Coritiba fica um pouco difícil aceitar jogar no Atlético”, brincou Adriano, que estava no Couto Pereira na última derrota do Verdão para o São Paulo e, mesmo triste com o resultado, destacou a força do elenco.

Rotina no melhor time do mundo

Neste sábado, Adriano embarca para Barcelona e, de lá, segue para Miami, onde o time de Pep Guardiola faz sua pré-temporada. E, ao contrário do que se vê na preparação dos times brasileiros, a correria é míníma por lá. “Na pré-temporada é só toque de bola, depois o Guardiola separa os jogadores de defesa, de meio e de ataque e treinamos separado”, explicou Adriano.

Ser o melhor conjunto em atividade no futebol passa também pelo cuidado na mesa. “Nosso cardápio lá é balanceado, tem um chef e uma nutricionista”, contou o jogador. A prática não é exclusividade do Barça. Na Europa, os times não costumam se concentrar quando jogam em casa. Outra diferança são as famosas festas de jogadores que, por lá, são mais tranquilas, segundo conta o lateral. “Tem confraternização no dia a dia, mas não tem muito churrasco. A gente vai mais em restaurantes”, destacou o jogador.