O país escolhido para ser a sede da Copa do Mundo de 2022 foi acusado de censura por uma rede de televisão suiça depois que, no Catar, dois jornalistas foram presos pela ao realizarem uma matéria sobre o futebol no país. Segundo a Radio Television Suisse (RTS), emissora onde os profissionais atuam, o episódio é uma “violação grave na liberdade de imprensa”; a Fifa também destacou a prisão dos jornalistas.

A emissora de TV relatou que o repórter Christophe Cerf e o seu cinegrafista Yvan Thorimbert foram detidos, algemador e interrogados em delegacias do Catar, no último dia 01. Segundo a RTS, um juiz em Doha aplicou uma multa aos jornalistas, além de ter confiscado as câmeras da equipe ainda no hotel em que estavam hospedados.

O material foi recuperado 13 dias depois pelo embaixador da Suíça, no Kuwait, que também garantiu a liberação dos dois repórteres. A emissora suiça garantiu que contava com a autorização de diplomatas do país para poder filmar no Catar.