Por Guilherme Coimbra e Pedro Melo 

Getterson teria jogado três partidas do estadual de forma irregular. (Geraldo Bubniak/Futebolparanaense.net)

Protagonista do JMalucelli no começo do Campeonato Paranaense, o atacante Getterson é o centro da primeira grande polêmica do Campeonato Paranaense. O Tribunal de Justiça Desportiva (TJD-PR) formalizou a denúncia sobre uma escalação irregular do atacante nas três primeiras rodadas.

Depois de ser dispensado pelo São Paulo, o atacante foi emprestado para o FC Dallas, dos Estados Unidos, até o final da temporada e retornou para o JMalucelli para cumprir seu contrato que vai até 2018. Porém, o nome do atacante apareceu no Boletim Informativo Diário (BID) apenas no último dia 06 de fevereiro após Getterson ter entrado em campo em três rodadas – vitórias sobre Cascavel e Cianorte e empate com o Foz do Iguaçu.

“Recebemos uma documentação na quarta-feira passando informando que o atleta Getterson estaria participando de forma irregular nas três primeiras rodadas porque o nome dele não havia sido publicado no BID. Então, nós analisamos a documentação e constatamos que de fato essa escalação foi irregular”, explicou o procurador-geral do TJD-PR, Gilson Goulart Júnior, em entrevista à Banda B.

O TJD-PR denunciou o Jotinha baseado no artigo 214 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD): “Incluir na equipe, ou fazer constar da súmula ou documento equivalente, atleta em situação irregular para participar de partida, prova ou equivalente”.

JMalucelli nega irregularidade

Em contrapartida, o advogado do JMalucelli, Marcelo Contini, contestou a denúncia do TJD-PR e ressaltou que o jogador estava regular. “É uma situação que surgiu para a gente nessa semana e embora tenha o questionamento, isso não nos deixa surpreso porque não há nenhuma irregularidade no contrato do Getterson. Ele tem contrato com o clube até 2018 que foi publicado no meio do ano passado. O empréstimo dele com o FC Dallas era até 31 de dezembro e como não houve renovação, ele voltou para o JMalucelli”, declarou.

Contini ainda informou que não foi publicado um novo contrato de Getterson, mas o Certificado de Transferência Internacional (CTI), o que não impedia o jogador de entrar em campo. “Não foi publicado um contrato novo no dia 6, mas sim, o Certificado de Transferência dele. Apenas uma formalidade do sistema que eles exigem em relação aos direitos federativo. Porém, não implica na condição de jogo porque ele tem contrato em vigência”, comentou.

Caso o clube seja condenado, o JMalucelli perderia os sete pontos conquistados até o momento e mais nove pontos pelos três jogos disputados por Getterson, artilheiro do estadual com três gols.