Equipe jamaicana perdeu o ouro conquistado em Pequim (Divulgação/Beijing-2008)

O astro Usain Bolt perdeu uma das nove medalhas de ouro olímpicas conquistadas na sua histórica carreira. Nesta quarta-feira (25), o Comitê Olímpico Internacional (COI) anunciou que a equipe de revezamento 4×100 metros da Jamaica perdeu o ouro assegurado nos Jogos de Pequim, em 2008, em razão do doping de Nesta Carter.

Carter testou positivo para metilhexanamina, um estimulante proibido, na renálise das amostras dos exames antidoping realizados pelos atletas na Olimpíada de 2008 pelo COI. Naquela oportunidade, em Pequim, ele abriu o revezamento para a equipe jamaicana, que então venceu a prova com o tempo de 37s10, então o recorde mundial do 4×100 metros.

Além de Carter e Bolt, a equipe da Jamaica também foi composta na final por Asafa Powell e Michael Frater. “A equipe da Jamaica está desclassificada”, anunciou o COI. “As medalhas, pins e diplomas foram retirados e serão devolvidos”, acrescentou a entidade, através da sua comissão disciplinar.

Carter foi ouvido pela comissão disciplinar do COI em uma videoconferência realizada em 17 de outubro. O jamaicano pode recorrer à Corte Arbitral do Esporte contra a decisão. Já o próximo passo do COI será realizar a redistribuição das medalhas da disputa do 4×100 metros nos Jogos de Pequim.

E o Brasil será beneficiado, pois terminou a prova naquela oportunidade na quarta colocação. Na Olimpíada de 2008, o quarteto do País foi composto por Vicente Lenílson, Sandro Viana, Bruno Lins e José Carlos Moreira, o Codó, que completaram a distância em 38s24. Assim, agora eles herdarão o bronze.

Embora o COI ainda não tenha formalizado essa mudança, a equipe de Trinidad Tobago, então formada por Keston Bledman, Marc Burns, Emmanuel Callender e Richard Thompson, subirá um degrau no pódio, ficando com a medalha de ouro. Já a prata será entregue para o time japonês.

Carter foi apenas um entre as dezenas de atletas que foram flagrados em reanálises dos exames antidoping guardados pelo COI dos Jogos de Pequim e de Londres. E além de anunciar o caso do jamaicano, o comitê também confirmou que a russa Tatiana Lebedeba perdeu a sua medalha de prata da disputa do salto triplo, também na Olimpíada de Pequim.