Ouça o áudio

A queda para a Série B do Brasileiro, em 2007, foi um revés que marcou a história do Paraná Clube. Hoje, o rebaixamento para a Divisão de Acesso do Campeonato Paranaense tem uma sabor ainda mais amargo: sinaliza um time em decadência, que sofre com as finanças e que não teve tempo para corrigir os erros de início de temporada. (Ouça a entrevista completa do mandatário tricolor no ícone acima)

Para o presidente do clube, Aquilino Romani, o clube está pagando uma dívida histórica. O mandatário é enfático em dizer que as dívidas e os poucos recursos disponíveis para a administração foram cruciais para o rebaixamento do time à Segunda Divisão do campeonato estadual. Romani criticou a atuação de Roberto Cavalo e destacou que o Paranaense trouxe times de boa qualidade. “Sem recurso não se consegue fazer futebol, pagamos pela falta de planejamento que veio lá de trás”, disse, em entrevista exclusiva para a rádio Banda B, assumindo parte da responsabilidade pela queda e destacando o quanto sofreu no comando do Tricolor.

Com um primeiro turno de muitas derrotas e confusão nos bastidores, o Tricolor pagou pelos pecados cometidos. Mesmo com a chegada de Ricardo Pinto e uma sensível melhora no time, as marcas do inicio de ano não deixaram o time se reerguer. “Erramos muito com o Roberto Cavalo, aquele primeiro turno nos complicou. O nível do Paranaense foi bem superior aos outros”, frisou. Romani revelou, também, que as verbas de televisão do clube já estão todas penhoradas por dívidas com o Vitória.”Nós temos vergonha, mas assumi um caminhão de conta que ficou aí”, reclamou.

Instabilidade e crise históricas
Desde o início do ano, os desentimentos nos bastidores do clube são constantes. O ex-técnico do clube, Roberto Cavalo, revelou conflitos com o diretor de futebol, Paulo César Silva, o Paulão. Romani revela que, caso alguém se interesse, as portas do clube estão abertas para novos dirigentes. “Se tiver alguém habilitado pra assumir o Paraná, as portas estão abertas. Eu já sofri bastante pelo clube”, afirmou. O dirigente conta que colocou muitos recursos próprios no clube e que, inclusive, já teve alguns prejuízos.

Outro problema apontado por Aquilino Romani são as falsas promessas de empresários que, quandop o Tricolor liderava o Brasileiro da Série B no ano passado, prometeram recursos para o clube. “Ninguém ajudou, isso está em ata no Paraná”, finalizou.